Atos protestam contra Jair Bolsonaro

Publicidade
Centrais sindicais ocupam as ruas de todo o país neste 1º de Maio, Dia Internacional de Luta dos Trabalhadores, em atos unificados contra a proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro (PSL) e os altos índices de desemprego no país. Segundo dados divulgados na última terça-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 12,7% da população economicamente ativa está desempregada.

Durante a semana, foi anunciado o indicativo de greve geral para o dia 14 de junho em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Acompanhe no Brasil de Fato, ao longo do dia, a repercussão dos protestos.

No 1º de Maio, trabalhadores protestam em todo o país e preparam greve geral
Centrais sindicais denunciam o desmonte da Previdência Social e pedem soluções para os altos níveis de desemprego.

São Paulo
Cerca de 200 mil pessoas, segundo a organização, se reuniram no Vale do Anhangabaú, região central da capital paulista, a partir das 10 horas da manhã. Dirigentes de todas as centrais sindicais criticaram a equipe econômica do Bolsonaro e reforçaram a importância da greve de 14 de junho. Subiram ao palco artistas como Leci Brandão, Ludmilla, Simone e Simaria, Paula Fernandes, Toninho Geraes, Mistura Popular, Maiara e Maraísa, Kell Smith, e Júlia e Rafaela.

Guilherme Boulos, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), destacou que a união de todos os trabalhadores e trabalhadoras na greve geral será uma ação importante na defesa dos direitos da população: “Aqui começa a luta que vai barrar a reforma da Previdência no dia 14 de junho o Brasil vai parar contra esse projeto que quer destruir a previdência pública. Eles não querem enfrentar privilégios, isso é mentira. Eles estão atacando direitos”, disse.

Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, o ato unificado das centrais sindicais acontece na Praça Mauá. Trabalhadores se uniram para denunciar que a proposta de reforma da Previdência de Bolsonaro ataca uma vez mais os direitos dos trabalhadores. A atividade tambem contou com samba para homenagear Beth Carvalho e em diferentes momentos os manifestantes gritaram pela liberdade do ex-presidente Lula.

Veja as demais cidades e países aqui.
Advertisemen