Tomás Martins: mutirão de consultas e cirurgias

Publicidade
Em Santa Inês, o Hospital Macrorregional Tomás Martins realizou, nos dias 8 e 9 de fevereiro, um mutirão de consultas e cirurgias pediátricas com 70 atendimentos, 54 consultas e 16 procedimentos cirúrgicos, para dar agilidade às necessidades dos pacientes regulados pela rede estadual de saúde.

Bianca Soares, de 9 anos, em menos de 20 dias após a consulta com o pediatra, teve seu procedimento de retirada de um cisto sebáceo realizado na unidade de saúde. A mãe Aderlane Soares se surpreendeu com a rapidez do atendimento e elogiou a chegada do hospital.

“Eu já estava me planejando financeiramente para levar a menina para uma clínica particular, porque antes, aqui em Santa Inês, era assim, mas com a chegada do Macrorregional consigo resolver as questões de saúde da minha família sem gastar e sem me deslocar para Teresina. O pediatra marcou a cirurgia e em menos de 20 dias ela se operou”, afirmou a mãe.


Herniorrafia inguinal, cistos na glabela e sebáceo, tumor dorsal e hidrocele foram os procedimentos realizados durante o mutirão no Macrorregional.

O diretor clínico da unidade de saúde, Antônio Jorge, avalia a realização dos mutirões como um marco histórico na área da saúde, beneficiando os moradores do município, que, hoje, têm acesso a esse serviço devido à presença do estado. “Os mutirões são eventos importantes para a nossa região, solucionando um problema do nosso povo que sempre teve difícil acesso à cirurgia pediátrica”.

O Hospital Macrorregional Tomás Martins é gerenciado pelo Instituto Acqua.

Boas práticas de humanização

Além das atividades, na sala de espera do Mutirão de Cirurgias Pediátricas, o Hospital Macrorregional Tomás Martins desenvolve outra boa prática de humanização com crianças internadas na unidade.

Quando é possível, dependendo do avanço da recuperação, o pequeno paciente é levado para a Brinquedoteca. O ambiente estimula sensações positivas, promove a socialização, alegria e, consequentemente, colabora para melhora do quadro clínico da criança.

Para registrar as etapas e criar um histórico deste trabalho realizado na Pediatria, todos os desenhos feitos pelas crianças são guardados como recordação e formação de um acervo que pode inspirar novos projetos.

Aulas de pintura no Tomás Martins

Já com os idosos hospitalizados há mais de 20 dias, a área de Psicologia do hospital desenvolve aulas de pintura que estimulam a cognição. A supervisora multiprofissional da unidade de saúde, Anna Géssica Sousa, ratifica a importância do processo de humanização realizado no hospital nos avanços das melhoras nos quadros clínicos dos pacientes, seja ele idoso ou criança.

“A equipe do Hospital Macrorregional Tomás Martins entende que a humanização hospitalar, por si só, promove um ambiente de acolhimento, afetuoso e empático, melhorando o desempenho da unidade”, explicou a supervisora.

Vanessa Moreira, Agência Secap


Advertisemen