Argentina: Não chores de rir dos brasileiros

Publicidade
A esquerda brasileira é risível. Ela culpa a direita por ter dado um golpe, mas não organizou o povo para resistir à queda de Dilma Rousseff. Culpa a direita por revogar direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, mas não organizou o povo para sitiar o Congresso Nacional. Culpa os juízes porque eles se apropriaram de todo o poder político, aumentaram seus privilégios e assaltaram os cofres públicos, mas não organizou o povo para invadir os condomínios onde eles moram. Culpa o povo brasileiro porque ele é apático e desorganizado como se a obrigação de anima-lo e organiza-lo não fosse dos partidos, sindicatos e lideranças de esquerda.

A direita fez o mesmo na Argentina, mas a esquerda daquele país organizou o povo e invadiu as ruas de Buenos Aires provocando uma crise que paralisou as reformas escravocratas do governo Macri. Além de não ter feito isso, a esquerda brasileira orgulhosamente aplaude os argentinos porque eles gritam que não são como os brasileiros.

É verdade, os argentinos querem ser argentinos. Mas nós deixamos de ser brasileiros, pois no Brasil a esquerda não atua com a mesma eficiência demonstrada pela oposição na Argentina.

Enquanto os argentinos organizaram a reação ao neoliberalismo, nós fazemos pose na internet. Tanto que agora a esquerda culpa o povo brasileiro por não ser tão aguerrido quanto nossos hermanos. Não seria melhor os esquerdistas culparem seus próprios líderes porque eles preferem ficar fazendo memes na internet como se isso fosse resolver o problema?

A esquerda brasileira se limita a produzir e compartilhar textos, memes e informações irrelevantes na internet. Em nosso país quem organiza e constantemente motiva uma parcela significativa da população são os pastores evangélicos. Eles fazem o que é preciso para garantir o golpe de 2016. Os líderes de esquerda reclamam dos pastores, mas se recusam a fazer o que deve ser feito: organizar o povo dentro e fora das igrejas para reagir nas ruas.

No Brasil o que explica o sucesso do neoliberalismo e a fácil implantação do Estado Pós-Democrático não é a docilidade do povo brasileiro e sim a covardia, a incompetência e a apatia da esquerda. Ela mergulhou na internet e se esqueceu da realidade.

Fábio de Oliveira Ribeiro
, Jornal GGN
Advertisemen