Eliziane Gama: uma candidata que cai

Publicidade
Pesquisa registrada no TSE com o número MA-02095/2016, e divulgada hoje por O Imparcial com Instituto da detentora do Jornal, a margem de erro é de 3% para + ou - considerando o intervalo de confiança de 95%. Imagem WhatsApp
A pesquisa divulgada hoje por O Imparcial e ontem pela TV Difusora revelam três aspectos da sucessão na capital do Maranhão, São Luís.

  1. O prefeito Edivaldo Holanda (PDT) soube aproveitar o período do início da campanha até o horário eleitoral gratuito e está com vaga garantida num eventual segundo turno.
  2. Antes, favorita, a deputada federal Elizane Gama (PPS) vê seu eleitorado se esvaindo e da condição de líder em boa parte do ano passado, pode ficar de fora do turno final.
  3. P desempenho da vereadora Rose Sales (PMB), do deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e do vereador Fábio Câmara (PMDB) podem decidir uma eleição apertada.

A tática de do deputado estadual Wellington do Curso (PP) é passar Eliziane e ter o seu apoio no segundo turno, bem como dos demais oposicionistas. Mas, falta rodagem ao pepista, ele está, apenas em seu segundo ano de mandato e jamais ocupou cargo de confiança, antes, na administração pública.

Eliziane vê seus frustados os seus planos de chegar ao topo logo no início, sabe aquele time que leva dois gols no começo da partida e perdeu todo o sistema tático. Tem rodagem, foi deputada estadual por dois mandatos e está no segundo ano na Câmara Federal.

Porém, a deputada cometeu o erro da incoerência política, o mesmo de Lula e do PT quando preferiu Sarney a Jackson Lago. Da mesma forma que o ex-governador errou ao se aliar com os tucanos nas disputas municipais de São Imperatriz. O episódio dos policiais militares demonstra o nervosismo da candidata que saiu da sua zona de conforto.

Vamos esperar a próxima rodada. Por enquanto, Somente Eliziane desidratou.
Publicidade