Amigo vazou áudio do prefeito Assis

Publicidade

Parte de um áudio que circula nas redes sociais em que Assis Ramos comenta a entrevista do ex-prefeito Madeira à TV Difusora, na última quinta, 2, foi vazado por um amigo do prefeito, interlocutor seu no diálogo.

O próprio Assis Ramos confirmou à coluna a autenticidade do áudio, mas recusou-se a comentar as declarações do antecessor.
O prefeito disse que se manifestaria em nota oficial "de maneira polida e com as devidas provas".

Na tv, Madeira desmentiu o sucessor, o qual afirmara em entrevista ao Correio que a dívida herdada na Saúde era de R$ 37 milhões. Madeira disse que chegava 'apenas' aos R$ 10 milhões e ainda alfinetou o atual gestor, quebrando as relações de cavalheirismo entre os dois.

Porém, parece que o prefeito desistiu de lançar a nota, após ouvir ponderações de assessores. Mexer no assunto geraria mais polêmica, colocando Madeira no centro dos holofotes.

Outro porém: o ex-prefeito que se prepare. Suas críticas não ficarão baratas.

Não colou
Blogues anunciaram um suposto rompimento entre o vice-prefeito Alex Nunes Rocha e o prefeito Assis Ramos. Barrigada geral. Os dois apareceram juntinhos nesta sexta no lançamento da operação tapa-buracos e no velório do escritor e jornalista Adalberto Franklin.

Tudo paz e amor.


Clique na imagem e acesse: PDF

Devolve o nosso
A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6752/16, do Senado Federal, que considera como ato de improbidade administrativa o pagamento de verbas remuneratórias acima do teto e obriga o servidor a devolver os recursos recebidos.

Pelo texto, as providências administrativas para o ressarcimento dos valores pagos a mais independerão da conclusão da ação de improbidade administrativa. O projeto acrescenta dispositivo à Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92).

Parte da chamada Agenda Brasil, o projeto foi elaborado pela Comissão Especial do Extrateto do Senado, que propôs uma série de medidas para pôr fim aos chamados supersalários.

A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, inclusive quanto ao mérito. Depois será votada pelo Plenário.

Mais que um programa
O programa Bolsa Escola, do Governo do Maranhão, já beneficiou mais de 1,2 milhão de crianças e adolescentes. Com o reajuste de 12,5% no valor do benefício, a partir de 2017, cada estudante passou a receber R$ 51,00 para compra de material escolar nas lojas credenciadas ao Bolsa Escola.

Neste ano, 1.413 estabelecimentos distribuídos por todo o estado estão aptos a realizarem a venda de material escolar aos beneficiários do Bolsa Escola. O investimento do Governo do Maranhão no Bolsa Escola não representa apenas alunos mais motivados. Somente em janeiro de 2017, o programa injetou mais de R$ 52 milhões na economia maranhense, beneficiando municípios de todas as regiões ao ativar o comércio local em um período de baixa de vendas.
Publicidade

Publicidade