Tags

Cebrapaz: Flávio Dino defende mediação de conflito

Publicidade
O Governo do Estado está apoiando a Assembleia Mundial da Paz que está sendo sediada em São Luís. O evento promovido pelo Conselho Mundial da Paz, organização internacional que trabalha ações pela cultura de paz no mundo, reúne instituições de todo o mundo com o propósito de fomentar debates e sensibilizar a sociedade e o poder público para a solução de conflitos. A convite da organização do evento, o governador Flávio Dino participou dos debates realizados nesta sexta-feira (18), no Hotel Luzeiros, na Ponta d’Areia.

Reiterando a importância dos debates para mediar conflitos, incluindo os de proporção internacional, o governador Flávio Dino, pontuou que deve ser mantida a resistência, a firmeza de propósitos e o compromisso com a mudança destas realidades opressoras. Ele destacou que o país está em um momento de desigualdade social e perda da justiça, o que favorece a negação da paz propiciando a intolerância e o ódio. “Uma das consequências desses sentimentos é o belicismo, a guerra. O Brasil também sente a crise do capitalismo, fruto da concentração de riquezas nas mãos de poucos”, enfatizou o governador.

Na ocasião, Flávio Dino destacou que o projeto político pensado para o Maranhão contemplará todos os núcleos da sociedade com o intuito de diminuir as desigualdades. “Por isso, aceitamos esse convite do Cebrapaz para somar às causas da paz, contra o imperialismo e por um mundo mais justo para todos”, destacou o governador.

Durante os debates desta sexta-feira, foram discutidas soluções para problemas como censura, opressão, guerras e inúmeras situações de conflitos sofridas pelas populações de diversos países – das Américas ao Oriente. Estes problemas normalmente são fruto do abuso de governos imperialistas e ditatoriais e resultam em confrontos armados e morte, além de também resultarem em injustiças sociais.

Governador Flávio Dino com membros de organizações da sociedade civil que também participaram do evento

Governador Flávio Dino afirmou que deve ser mantida a resistência, firmeza de propósitos e compromisso com a mudança das realidades opressoras
Governador Flávio Dino afirmou que deve ser mantida a resistência, firmeza de propósitos e compromisso com a mudança das realidades opressoras. Foto: Handson Chagas, Agência de Notícias Maranhão

Governador Flávio Dino com membros de organizações da sociedade civil que também participaram do evento
Flávio Dino com membros de organizações da sociedade civil que também participaram do evento. Foto: Handson Chagas, Agência de Notícias Maranhão
A assembleia reúne instituições de todo o mundo para participarem dos debates e também tem como finalidade sensibilizar a sociedade e o poder público para a solução destes conflitos. Na ocasião, representantes das Américas, África, Europa e Ásia apresentaram o cenário de suas regiões e as proposições a serem inclusas em um relatório final. Este documento será apresentado como plano de ação mundial para disseminar a cultura de paz.

Durante o evento são tratadas situações delicadas, de ordem interna, e muitas demandam um largo processo de discussões para que se alcance o consenso. Para quem vive à parte, estas condições extremas podem ser só mais uma ocorrência na lista de mazelas divulgadas pela mídia e que logo são distanciadas com a retomada do cotidiano. Contudo, para quem vive esta condição, o sentimento de repulsa e impotência se torna parte do dia a dia.

A professora colombiana Míriam Parada, 54 anos, membro da Fundação Escola da Paz, comentou a situação que seu país atravessa. Ela mora e trabalha em Bogotá, capital do país, e tenta, junto a outras organizações, que seja firmado o acordo de paz tão esperado pela população, mas que teria sido frustrado por um plebiscito considerado ilegítimo. A professora relembra que houve um maciço trabalho de marketing por parte do então governo do ex-presidente Álvaro Uribe, com apoio de grandes corporações empresarias, contra a assinatura do acordo de paz.

“Estamos há mais de cinco anos tentando esse consenso e nos surpreendermos com o resultado [negativo] dessa consulta. O que percebemos é que houve manipulação pesada de um conglomerado contra o consenso e a população foi induzida ao erro”, afirmou a professora. Somente 37% da população apta foi votar e destes, 50,2% optaram pelo ‘não’. Para Míriam Parada, a maioria da população foi iludida pela distorção dos fatos, patrocinados pelo então governo.



A professora participou da Assembleia Mundial da Paz acompanhada de uma delegação e a partir dos debates e exposição do cenário colombiano, ela tem plena esperança de que o acordo seja firmado. “Com a retomada das discussões e o apoio de organizações como a Cebrapaz, estamos perto de finalmente instituir a cultura de paz em nosso país”, destacou Míriam Parada. Outra forma que a professora encontrou para somar na mudança do cenário em seu país é por meio da educação. Na organização que integra, Míriam Parada orienta jovens e adultos desenvolvendo atividades na arte, música, dança e teatro, a fim de despertar neste público a consciência social e política.

O secretário de Movimentos Sociais do Cebrapaz, Thomás de Toledo, ressaltou que com a abertura da Assembleia Mundial da Paz, a capital maranhense será a Capital Mundial da Paz, título que carrega até o próximo domingo (20), quando encerra o ciclo de eventos com a realização da Conferência Mundial da Paz.

Thomás de Toledo reitera que a cidade de São Luís vive um momento importante por reunir representantes de todos os países em uma discussão de impacto mundial, que é a cultura da paz. “A partir dos relatos destes representantes, vamos todos elaborar propostas para um documento único. Estamos aqui entendendo a real situação de cada uma destas regiões conflitadas para podermos, de fato, prestar auxílio”, explicou. Ele acrescenta que o Cebrapaz desenvolve, ao longo de anos, o papel de intermediar, denunciar e somar forças para que as situações de conflitos não avancem.

No domingo (20), o público em geral poderá participar do ciclo de eventos do Cebrapaz durante a Conferência e também fazer suas proposições. Os debates do ciclo de eventos vão resultar na elaboração de monções e resoluções que estarão à disposição pública e poderão ser consultados na página da Cebrapaz: www.cebrapaz.org.br. As atividades do Cebrapaz ocorrem paralelamente ao ‘Novembro pela Paz’, promovido pelo Governo do Estado e que durante todo este mês realiza diversas ações em defesa do tema.

Sandra Viana
Publicidade

Related Posts
Disqus Comments