Primeiro: Dia de ir às urnas

Publicidade
Chegou o grande dia, quando brasileiros, daqui e de outras regiões do país, estarão indo as urnas, votando em seus candidatos a prefeito e a vereador.

Imperatriz, desde ontem, vive a atmosfera do período que antecede o momento de o eleitor ir até ao local de votação.

O clima, portanto, é só de eleições, com as pessoas ávidas por informações, principalmente sobre quem lidera as pesquisas, qual o potencial futuro prefeito do segundo mais importante município maranhense.

Ainda na manhã do sábado, lá por volta das 10h43, quando o artigo era escrito, a população ouvia, inclusive na região central, barulhos de fogos, com os candidatos a Prefeitura Municipal nas ruas, fazendo o clima esquentar do ponto de vista da divulgação de suas candidaturas.
Escola Dorgival Pinheiro de Sousa, eleitores costumam chegar cedo. Foto: Diana Cardoso, imirante.com
Para fazer com que a democracia seja efetivamente consolidada no pleito de hoje, o eleitor não tem de pensar duas vezes. Deve fazer cumprir, sim, o exercício do voto, pois sua ida as urnas contribuirá de forma decisiva com o processo de mudanças auscultado pelos diversos segmentos da comunidade.

O advogado e jornalista Josemar Santana, especializado em Direito Eleitoral com Habilitação para o Ensino Superior de Direito, ressalta, que, o eleitor ficará sem votar, caso compareça na Seção Eleitoral, portando apenas o Título de Eleitor.

Observa, a propósito, que, “além do Título Eleitoral, o eleitor deve apresentar um documento oficial, com foto, a exemplo de Carteira de Identidade, Carteira de Habilitação, Carteira do Trabalho, Passaporte etc. “Se o eleitor comparecer à seção eleitoral sem o título poderá votar, desde que esteja portando um documento oficial com foto”.

O parêntese foi apenas para destacar a seriedade do compromisso com o futuro do Brasil e, obviamente, do município, lembrando ao eleitor sobre como ele deve ir às urnas. O espírito de cidadania, antes de tudo, deve

predominar, ou seja, que a pessoa vá votar consciente e tranquilamente. Sem a indução de ninguém. Não estamos querendo ‘marionetes’ votando, mas pessoas efetivamente envolvidas com a Imperatriz que todos aspiram.

Em momento tão crucial para os brasileiros das demais regiões e de Imperatriz, faz-se necessário trazer a baila a máxima do ex-presidente norte-americano Teddy Roosevelt, destacando que, “um voto, é como um rifle, sua utilidade depende do caráter do beneficiado”. Ou seja, não se pode votar aleatoriamente, nem a torta e nem à direita, às cegas. Tem de haver responsabilidade e, sobretudo, envolvimento com o futuro da cidade e de seus habitantes.

Ao longo dos últimos dias, o eleitor teve a oportunidade de conhecer os postulantes aos cargos de prefeito e vereador, por meio da propaganda eleitoral, veiculada em emissoras de rádios e tvs. Assim, teve como analisar e chegar à conclusão para quem dará seu voto neste domingo, 2 de outubro, dia das eleições. Claro que muitas promessas foram feitas. Coisas mirabolantes, talvez! “Nunca se mente tanto como antes das eleições, durante uma guerra e depois de uma caçada”, já asseverou com tirocínio o diplomata alemão Otto Von Bismarck.

O voto é, portanto, fator preponderante para que a população possa ver o começo das transformações há anos esperadas, mas, que, infelizmente, ainda não foram colocadas em prática. Que os futuros governantes, tenham uma ótica diferenciada sobre a missão de ser um agente público, notadamente um prefeito e um vereador.

Vote, porém, entre na cabine eleitoral sem medo de incorrer em erro quanto à pessoa que estará escolhendo como seu representante político, tanto no Executivo quanto no Parlamento. Pois parafraseando o filósofo grego Platão, “não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam”. Pense nisso!

Até as urnas!

Um feliz domingo!

Raimundo Primeiro
Publicidade

Publicidade