Matthew atinge Jamaica e Haiti

Publicidade
Na análise das 03:00 UTC de 3 de outubro (00h do dia 3 em Brasília) do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), Matthew permanecia como furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson que vai de 1 a 5 e que é normalmente usada para medir grau de periculosidade dos furacões.

Matthew mantinha um lento deslocamento e se movimentava de sul para norte com cerca de 7 km/h. Os ventos constantes eram estimados em 230 km/h, mas com rajadas mais intensas. A pressão mínima no centro da baixa pressão era de 943 hPa.
O olho de Matthew estava a 520 km a sudoeste de Porto Príncipe, capital do Haiti, e a 415 km a sul/sudeste de Kingston, capital da Jamaica.

Mantendo a velocidade e a trajetória atuais, o centro do furacão Matthew deve passar durante esta segunda-feira, 3, sobre a Jamaica e no sudoeste do Haiti seguindo para o sul de Cuba na terça, 4 de outubro. Durante a quarta-feira, 5 de outubro, o furacão deve avançar sobre a Bahamas e a costa leste da Flórida.

Previsões de modelos numéricos mostram que Matthew deve continuar avançando no fim da semana junto à costa leste dos Estados Unidos.


Alerta de furacão

Os governos da Jamaica, Haiti e Cuba já emitiram alerta máximo de furacão para a população. Todos os preparativos como a evacuação das áreas para maior risco de desastre, proteção de edificações, compras de mantimentos devem ser feitos para enfrentar os efeitos desastrosos que a chuva e os ventos do furacão Matthew devem causar nas próximas 48 horas. O grande volume de chuva em pouco tempo poderá causar enchentes repentinas e deslizamento de encostas.

Matthew se originou no dia 28 de setembro de 2016 no mar do Caribe, na região das Pequenas Antilhas, mas teve uma rápida intensificação e no fim da tarde dia 29 já era um furacão. No decorrer do dia 30 de setembro, Matthew se transformou num grande e perigoso furacão e chegou a chegou a ter categoria 5 na escala Saffir-Simpson que vai de 1 a 5, com ventos de aproximadamente 240 km/h

Matthew está sendo considerado um dos piores furacões a passar sobre o Caribe em décadas.

Terra e Climatempo
Publicidade