Tags

Crise: desempego aumenta no sudeste

Publicidade
De acordo com os autores do golpe que afastou a presidenta Dilma, havia uma crise de desconfiança e que tão lohgo o impeachment fosse decretado pelo Congresso, a confiança voltaria ao mercado e o Brasil voltaria a crescer. Lembram?

De fato, não tem almoço grátis. para o PiG ganhar mais dinheiro, o governo precisa retirar recursos da saúde, da educação e da segurança pública. 
Mas, a história mostrou-se ser bem diferente e o castigo sempre vem a cavalo, ensina o ditado. A região sudeste que teve mais empenho para golpear a democracia é a que mais sofre com a crise, conforme publicação do Valor Econômico:desta quarta, 26, com números oficiais do governo.

Brasil fecha 39.282 vagas de emprego formal em setembro

O Brasil fechou 39.282 vagas formais de trabalho em setembro, segundo dados divulgados nesta quarta-feira do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Segundo o ministério, houve 1.142.797 admissões e 1.182.079 desligamentos no mês. No acumulado de janeiro a setembro, foi registrado o corte de 683.597 postos d

Segundo o ministério, houve 1.142.797 admissões e 1.182.079 desligamentos no mês. No acumulado de janeiro a setembro, foi registrado o corte de 683.597 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, foram fechadas 1.599.733 vagas.


(...)

A região Nordeste apresentou saldo positivo, com abertura de 29.520 vagas, em função das atividades ligadas ao Complexo Sucroalcooleiro e de cultivo de uva. No Sul, foram abertas 1.135 vagas – resultado impulsionado pela indústria têxtil em Santa Catarina e Paraná.

Entre as 17 Unidades da Federação, as que mais geraram empregos foram Pernambuco (15.721 postos) e Alagoas (13.395 postos). As que mais sofreram retração no emprego foram Rio de Janeiro (23.521 postos), São Paulo (21.853 postos) e Minas Gerais (16.238 postos
). [Cristiane Bonfanti e Lucas Marchesini, Valor Econômico]
Publicidade

Related Posts
Disqus Comments