Líderes dos ataques serão transferidos

Publicidade
A polícia confirmou o envolvimento de 35 detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas com os ataques contra ônibus e prédios públicos na capital, na quinta-feira (29). Destes, 23 foram identificados como líderes de grupos criminosos e serão enviados a presídios federais. A medida foi confirmada pelo secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela, durante coletiva à imprensa, na tarde desta sexta-feira (30).

“Iniciamos essa operação ‘pente fino’ para retirar qualquer tipo de ilícito de dentro das unidades e reforçamos o policiamento em todas as unidades prisionais do sistema para evitar fugas, motins ou rebeliões neste período eleitoral. Não vai prevalecer ato violento que venha a dar alguma ordem ao cidadão maranhense. A polícia está com sua força nas ruas para impedir esses criminosos”, enfatizou o titular da SSP-MA.

Portela afirmou que a motivação dos criminosos para os ataques foi prejudicar o processo eleitoral e acrescentou que a declaração foi confirmada pelas próprias mulheres durante a manifestação que tentou interditar a Avenida Beira Mar.

“Foi comprovado, ainda, que esses criminosos determinaram a ordem de ataque para integrantes dos grupos aqui fora. Todos foram criminalmente responsabilizados. E o importante é que, considerando a gravidade dos atos cometidos e as reiteradas práticas criminosas, o Poder Judiciário deferiu a solicitação da Segurança e vamos transferi-los para presídios federais”, disse.
Jefferson Portela, com a cúpula da segurança, apresentou suspeitos em coletiva hoje à tarde. Foto: Gilson Teixeira
Suspeitos foram apresentados na sede da SSP. Foto: Gilson Teixeira
Líderes de facções e mandantes de ataques seguem para presídio de segurança nacional. Foto: Gilson Teixeira
Os detentos foram autuados por organização criminosa e depredação de patrimônio público. Todos ficarão em regime de isolamento até que a transferência seja realizada para Catanduva, Mossoró e Acre, onde cumprirão pena em regime isolado. O Ministério da Justiça já disponibilizou um avião para o transporte dos presos. Os demais, que permanecem nos presídios da capital, ficarão sob monitoramento irrestrito. O secretário Jefferson Portela destacou que as vagas no sistema federal foram garantidas após reunião entre o governador Flávio Dino e chefes da Justiça – Ministério da Justiça, Superior Tribunal Federal e Tribunal de Justiça do Maranhão. O Ministério da Justiça comunicará à SSP-MA a data para envio dos criminosos.

Durante a coletiva, Portela anunciou ainda que as operações nas ruas, iniciadas imediatamente após os ataques, continuam e serão intensificadas até a próxima segunda (3), para garantir a segurança do processo eleitoral. Os ônibus permanecem com escolta policial dentro e também fora dos coletivos; e os bairros onde ocorreram casos e locais de votação terão prioridade no deslocamento da segurança. Em apoio à Polícia Militar, Civil e Corpo de Bombeiros, está ainda a Guarda Municipal. Serão 170 policiais que farão monitoramento nos Terminais de Integração, durante 24 horas.

A operação continua para dar cumprimento a outros mandados de prisão já autorizados pela Justiça. “Temos que nos manter vigilantes e coibir os ataques aos ônibus e ao patrimônio público, além de dar garantia ao cidadão de ir cumprir o seu papel no dia da eleição”, disse Portela. O comandante geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Frederico Pereira, também se posicionou durante a coletiva e informou que “as tropas estão cumprindo missões especiais. Hoje mesmo o serviço de inteligência já prendeu três criminosos. Estamos num trabalho incessante, além de escoltar os ônibus”, ressaltou.

A operação policial decorrente dos ataques culminou ainda com a prisão de outros 14 envolvidos, que foram autuados e encaminhados ao Complexo de Pedrinhas; e mais 16 adolescentes, que cumprem regime de internação. A Segurança vem trabalhando incansavelmente, desde os primeiros ataques, com prisões de envolvidos em tempo recorde.

Estavam presentes na coletiva o delegado-geral de Polícia Civil, Lawrence Melo; o superintendente de Polícia Civil do Interior, Dircival Rodrigues; a delegada-adjunta de Polícia Civil, Adriana Amarante; o secretário municipal de Segurança com Cidadania, Breno Galdino e o secretário municipal de Governo, Lula Fylho.

Diego Rodrigues e Sandra Viana, Agência de Notícias Maranhão
Publicidade