Os que festejam hoje vão chorar amanhã!

Publicidade
Às 13h30 desta quarta-feira, 31 de agosto de 2016, o tribunal de exceção do Senado aprovou o impeachment da presidenta Dilma, eleita democraticamente por 54,5 milhões de brasileiros. O "golpe dos corruptos" contou com o voto de 61 algozes, a maioria deles mais suja do que pau de galinheiro.

Nas redondezas da Avenida Paulista, centro financeiro de São Paulo, alguns "coxinhas" dispararam as buzinas de seus carrões. Dos prédios, outros fanáticos soltaram rojões e gritaram "Fora Dilma". Mas a vida dá volta e é cruel. Muitos "midiotas" que festejam nesta triste data ainda vão chorar muito num futuro bem próximo do crime que ajudaram a perpetrar contra a jovem democracia brasileira.

Os que festejam hoje vão chorar amanhã!

Os mais idosos, que imaginavam uma velhice mais tranquila, serão vítimas da proposta de reforma da Previdência que elevará o tempo de aposentadoria. Alguns tecnocratas do covil golpista já chegaram a sugerir a aposentadoria aos 70 anos. Outros falam em aumento da contribuição previdenciária.

Os mais novos, agora animados pelo otimismo econômico dos ex-urubólogos da mídia, sofrerão com o aumento do desemprego e com a queda da renda. Eles também serão vítimas da reforma trabalhista orquestrada pelos empresários que financiaram o golpe - que prevê aumento da jornada de trabalho, fatiamento das férias e outras regressões.

Os que se beneficiaram dos inúmeros programas sociais dos últimos anos - como o do financiamento para ingressar na faculdade ou o das bolsas de estudo no exterior - sentirão na carne os efeitos de um governo privatista e antissocial.

Já os ingênuos - ou cínicos - que replicaram a bravata do combate à corrupção serão cúmplices de um "golpe dos corruptos". Terão vergonha - estes sim - de dizer aos seus netos que apoiaram o assalto ao poder, sem voto, de uma corja de bandidos. Irão para a sarjeta da história junto com Michel Temer, Eduardo Cunha, Aécio Neves, Ronaldo Caiado e outros trastes da política nacional.

Para tranquilizar suas consciências atormentadas, os "midiotas" poderão exibir alguns exemplares da Veja, Folha, Estadão e Globo e alegar que foram enganados. Mas será tarde!

Altamiro Borges
Publicidade