Ministério como defesa, não! Lula confia no Supremo

Publicidade
O Japa devia levar de presente ao Moro e Silva
O Japa devia levar de presente ao Moro e Silva. Foto: Conversa Afiada
O presidente Lula teve uma excelente reunião com 26 senadores na casa de Renan, nessa manhã do dia 10/3.

Foi um encontro que só se explica num Estado de Exceção, em que a Policia Federal age com o AI-5 nas mãos e arrebenta o Instituto Lula e invade a casa da Clara Ant.

Lula e os senadores se encontraram para pregar o cumprimento da Constituição.

No final, para fotos, Renan deu exemplar da Constituição para Lula.

Lula deveria enviar, pelo Japa, de presente ao Dr Moro e Silva.

Falou-se muito sobre saídas para a crise política e econômica.

Essa hipótese de o Lula ser Ministro só é entendida como parte dessa saída e, mesmo assim, é polêmica.

Longe do consenso.

Como autodefesa, Lula rejeita.

Deixou isso claro.

Neste momento, sua defesa está concentrada no recurso ao STF para decidir se Curitiba pode ou não investigá-lo.

Ou seja, Lula também acha que só o Supremo pode apagar o fósforo que o Moro acendeu.

E a Globo de Goiânia já sentiu o cheiro da fumaça.

O Conversa Afiada acredita que o Supremo, assim como entupiu o impitim do Cunha, ao redefinir as regras do impitim, saberá devolver tranquilidade institucional ao país.

O Ministro Toffoli já decidiu que o Moro e Silva não pode querer julgar tudo, não pode querer julgar atropelamento de empreiteiro em Sergipe, nem considerar que o pedalinho na casa do Bittar usa derivado de petróleo e, portanto, está sob a alçada dele, o auto-proclamado Corregedor Geral da República.

Da mesma forma, o ministro Teori já tirou uma boa parte dos processos da mão do Moro, como o do Almirante Othon Silva, que o Moro provavelmente nem sabia quem era.

Deve ter imaginado que era outro capoteiro.

O Supremo tem mais que um Mello !

Agora, é preciso ter um Ministro da Justiça que demita o Daiello e troque os delegados aecistas de Curitiba.

Porque só na ditadura policia não tem chefe.

Quem não tinha chefe era o delegado Fleury.

Em tempo: "Moro e Silva" é uma singela homenagem que o Conversa Afiada presta ao general Costa e Silva, signatário do AI-5 que voltou a vigorar em Curitiba, na Policia Federal e no Ministério Público do Dr Janot.

O Conversa Afiada presta também singela homenagem ao delegado Fleury. O delegado Fleury não tinha chefe, como os delegados aecistas que mandam no Brasil, em parceria com o Juiz Moro e Silva e os Procuradores do Dr Janot !

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada
Publicidade