Amazonas prioriza combate ao crime organizado

Publicidade
A parceria entre as forças de segurança do Estado, evidenciadas pelas operações conjuntas que prenderam alguns dos maiores criminosos e policiais que participavam de grupos de extermínio no final de 2015, reduzindo, mesmo que timidamente, os índices de criminalidade, deve continuar em 2016 com mais força ainda. É o que prometem os titulares da Secretária de Segurança Pública (SSP), Sérgio Fontes, e o procurador-geral do Ministério Público (MPE), Fábio Monteiro.

Combater o crime organizado e tirar das ruas os pistoleiros que trabalham para facções criminosas, são as principais metas da SSP, de acordo com Sérgio Fontes. “Eles serão tirados da rua por meio de investigações. O crime organizado é a mola propulsora para outros crimes”, esclareceu Fontes.
Jornal A Crítica
Fac-símile: Jornal A Crítica
Outra meta da SSP é reduzir os índices de homicídios e roubos. Crimes que, segundo Fontes, normalmente estão relacionados ao tráfico. “Cerca de 70 % dos homicídios são decorrentes do narcotráfico e vamos fazer isso mudar, embora seja num longo prazo. Demos o primeiro passo, é uma jornada grande, uma estratégia para chegar a um nível de segurança que todos nós desejamos” disse o secretário.

Para atingir o objetivo, o secretário aposta nas investigações. “A polícia vai continuar trabalhando nessa linha, prendendo matadores de organizações criminosas, assassinos de farda, seja quem for”, disse Fontes.

Alerta aos corruptos

Fábio Monteiro “previu” um 2016 “bastante movimentado” no MPE. E, assim como a SSP, com foco no crime organizado e, principalmente, no combate à corrupção na administração pública em municípios do interior. “Já existem muitas ações, algumas prontas e outras em andamento, que devem acontecer no decorrer do próximo ano. Todos eles culminarão com medidas muito incisivas por parte do Ministério Público, naquilo que nós entendemos pela coleta de produção de provas demonstrando eventuais irregularidades em diversas localidades do Estado”, disse Monteiro.

O procurador adiantou que MPE tem mais de 100 procedimentos instaurados nas promotorias do Patrimônio Público, e do Interior, e investigações do próprio Grupo Gaeco de combate às organizações criminosas. “Isso não é uma caça às bruxas. Estamos atuando de forma justa e embasada em medidas e decisões do próprio poder judiciário” disse.

Monteiro informou também que, até o início do segundo semestre, todos os municípios do interior terão um promotor após a finalização do concurso que está em andamento. “O Gaeco vai ter muito trabalho”, previu.

Interior

Para o interior do Estado, as metas da SSP incluem investimentos na logística e na qualidade de vida do policial do interior. A criação do fundo de segurança pública é destacada pelo secretário Sérgio |Fontes com o a “tábua de salvação” da segurança pública. “O fundo consiste em recolher recursos para serem investidos na segurança, como a cobrança de taxas, como da segunda via de documentos de identidade, e ainda ter a participação nas multas cobradas pelo Detran”, explicou Fontes.

Desafio é reaver o controle do sistema prisional do AM

Resgatar o domínio do sistema prisional do Amazonas, hoje controlado pela organização criminosa Família do Norte (FDN), é a prioridade do titular da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, em 2016. Como ele pretende fazer isso? Promovendo mudanças radicais no sistema, desde os procedimentos e normas, até as concessões a presos.

Um dos maiores desafios é reduzir a superlotação. E a primeira medida da Seap deve ser a inauguração de mais uma cadeia pública, no início de 2016, que deve oferecer mais de 600 vagas e permitir a desativação definitiva da centenária cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro.

Outro projeto para diminuir a população carcerária é a aquisição de 3 mil tornozeleiras eletrônicas, que passam por licitação. “É uma forma de dar uma nova chance para os que praticam pequenos crimes. É um prejuízo para o Estado eles entrarem em uma unidade prisional. Prejuízo financeiro e social, porque eles retornam para as ruas criminosos potenciais”, explicou o secretário, que informou ainda que os presos que cumprem pena em regime semi aberto também serão contemplados com as tornozeleiras. Atualmente, 160 presos trabalham fora das unidades e, à noite, voltam para o presídio. Com a tornozeleira, eles poderão voltar para casa e só deverão se apresentar eventualmente.

Trabalho e educação

A criação de parcerias com empresas para abrir frentes de trabalho nas unidades prisionais é outra proposta da Seap para 2016. Em fevereiro começa a funcionar uma linha de montagem no regime fechado do Complexo penitenciário Anísio Jobim (Compaj), com 60 vagas. A ideia é que, em 2016, 200 internos estejam trabalhando.

Investir na educação também está nos planos da Seap, segundo Pedro Florêncio. “Erradicar o analfabetismo nas unidades prisionais, trazer cidadania para o preso com a emissão de documentos pessoais para aqueles que não têm, fazer com a maioria possa votar nas próximas eleições municipais e levar cursos de capacitação aos presídios estão entre nossas metas”, disse o secretário.

Concurso

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, anunciou para 2016 a realização de concursos para o Corpo de Bombeiros, delegados e peritos. A prioridade é o Corpo de Bombeiros, cujo efetivo é de 700 em todo o Estado.

Joana Queiroz, A Crítica
Publicidade

Publicidade