Edivaldo entrega Circo Escola na Cidade Operária

Publicidade
Carolina Nahuz

São Luís, MA. O prefeito Edivaldo entregou nesta sexta-feira (19) o Circo Escola, na Cidade Operária. O projeto atenderá crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, ampliando as oportunidades, a partir da interação artística, cultural e educativa. A inauguração do espaço contou com apresentação de malabaristas, palhaços e música no picadeiro do circo.

“Temos a oportunidade de fazer a entrega para a Cidade Operária, e toda essa região, de um símbolo da cidade. O Circo Escola é um espaço de convivência para crianças e adolescentes, que receberão atividades circenses e lúdicas, com ações integradas entre várias secretarias”, explicou o prefeito Edivaldo.

Circo Escola
Sempre tem um bom espetáculo no Circo Escola da Cidade Operária
Circo Escola
Prefeito Edivaldo (camisa rosa abaixo) com novos alunos e artistas do Circo Escola
O Circo Escola atenderá aproximadamente 334 crianças e adolescentes, com idade entre sete e 17 anos, que terão à disposição 12 oficinas nas áreas de artes circense, visual, cênica, música, dança, esporte, música e lazer, educação ambiental e ações socioeducativas. O encaminhamento dos adolescentes e crianças para o projeto será feito pelos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) da Cidade Operária, Janaina e João de Deus; pelo Centro de Referencia Especial em Assistência Social (Creas); e pelo Conselho Tutelar da área.

A secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andréia Lauande, relatou que o circo é resultado da sensibilidade da gestão para atender pessoas em situação de vulnerabilidade. “É um presente muito grande para São Luís, o prefeito Edivaldo devolve para São Luís o Circo Escola, com uma nova roupagem e numa área que precisa tanto. É um trabalho preventivo e o combate à violência sendo prioridade da gestão do prefeito Edivaldo”, apontou Andréia.

Algumas oficinas já iniciaram. Maria Tereza é avó de Luiz Henrique, 10 anos, que tem deficiência intelectual. A criança, atendida pelo Cras Cidade Operária, já iniciou as oficinas de arte circense e segundo a avó, já é possível perceber benefícios para o neto. “Ele tem evoluído, muitas coisas que ele tinha dificuldade está conseguindo fazer. A gente vê isso no agir dele. A convivência com outras crianças e as aulas do circo que estão dando esse resultado”, destacou.

Para inauguração, um grupo de crianças e adolescentes que já iniciaram as oficinas do Clube de Mães Mariana, entidade ligada ao Cras da Cidade Operária, fizeram uma apresentação especial de malabares, pernas de pau e palhaços. Houve distribuição de algodão doce, pipoca, picolé e maçã do amor.

Estiveram presentes durante a inauguração das novas instalações do Circo Escola, os vereadores Ricardo Diniz (PHS), Francisco Chaguinhas (PSB), Barbosa Lages (PDT), Josué Pinheiro (PSDC), Batista Matos (PPS); e os secretários municipais Lula Fylho (Governo), Breno Galdino (Segurança com Cidadania), Andréia Lauande (Criança e Assistência Social), Tati Lima (Informação e Tecnologia), Geraldo Castro (Educação), Antônio Araújo (Obras e Serviços Públicos); e o presidente do Instituto Municipal de Paisagem Urbana, Luiz Carlos Borralho.

Revitalização

O projeto Circo Escola foi interrompido há aproximadamente cinco anos, na atual gestão foram realizadas adequações do projeto e o Circo Escola pôde ser erguido em um novo espaço, em um dos bairros de maior índice populacional de São Luís, a Cidade Operária. A revitalização contou com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís (CMDCA-SL), através do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís (FMDCA-SL).

O trabalho conta ainda com a parceira de outras cinco secretarias municipais: de Educação (Semed), de Segurança com Cidadania (Semusc), de Meio Ambiente (Semam), de Desporto e Lazer (Semdel) e a Fundação Municipal de Cultura (Func). E com a parceria com grupo Mateus, que fornecerá diariamente lanches para o público atendido.

Referência

Durante a entrega das novas instalações, o prefeito Edivaldo destacou a retomada do projeto Circo Escola implantado em 1999 na gestão do então prefeito Jackson Lago. O equipamento funcionou durante 10 anos no Anel Viário e se tornou uma referência entre os serviços desenvolvidos na área da assistência social.

A experiência ganhou proporções internacionais com a parceria da Unicef, que referendou ao governo coreano a visita ao Projeto em 2004. Nacionalmente, participou do Projeto Criança Esperança, e também, foi modelo de inspiração para a criação do Circo da Baixada do Rio de janeiro (RJ), através da indicação do TDH/Brasil.

Jailson Pereira, egresso do Circo Escola, estava em situação de rua quando começou a ser atendido pelo projeto e hoje é instrutor de circo. “Era uma criança em situação de risco, conheci o Circo, participei das atividades e aprendi acrobacia, perna de pau, malabares, teatro e hoje trabalho nessa área. O circo mudou a minha vida”, relata o jovem que serve de inspiração para as crianças que iniciam a jornada no circo.
Publicidade