Brasil Integrado reduz índices de criminalidade

Publicidade
Ministério Justiça

Brasília, DF. Em três dias de operação (2,3 e 4 de setembro), o Brasil Integrado – Ação Nordeste realizou 72.493 abordagens e 1.014 barreiras policiais, resultando na apreensão de 5,2 toneladas de explosivos, 1405 munições, 112 armas de fogo e 166 veículos, inclusive um avião, além de 374 prisões nos noves estados da região. Os resultados foram divulgados na tarde desta sexta-feira (5) pelo Ministério da Justiça, que coordenou a ação.

Para o ministro José Eduardo Cardozo, o Brasil Integrado alcançou seus objetivos, tanto em termos de operações interligadas como em resultados contra o crime. “Os equipamentos, capacitações e protocolos de ações integradas que resultaram de investimento para a Copa do Mundo agora servem aos estados do Brasil num novo molde de atuação das forças estaduais”, disse.

Segundo o relatório apresentado por Cardozo, e atualizado no início da tarde, as equipes conseguiram desarticular três quadrilhas, executar 112 mandados de prisão e 105 de busca. Nos dias da operação, em relação ao mesmo período do ano passado, os roubos a banco registraram queda de 71%. O homicídio doloso teve redução de 25,23% e o roubo veicular caiu 32,20%.

“Essa ação piloto do Brasil Integrado conseguiu reduzir significativamente os índices de crimes na região nesses três dias, e reforçou a parceria entre as instituições e os profissionais envolvidos, da Bahia ao Maranhão”, disse Cardozo.

O Brasil Integrado começou a ser articulado há cerca de um mês entre governo federal e os nove estados do Nordeste. As operações conjuntas envolveram um efetivo de 9.600 agentes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e Exército, trabalhando em um esquema semelhante ao executado durante a Copa do Mundo.

O modelo bem sucedido de parceria na área de segurança pública entre governo federal e estados do Nordeste durante a Copa do Mundo credenciou a região a receber o projeto piloto do Brasil Integrado, com seus quatro Centros de Comando e Controle regionais (CICCR).

Além do uso padrão dos CICCR, o Brasil Integrado prevê normativas comuns, acordos de cooperação, oficinas temáticas e alinhamento de estratégias e ações. O governo federal pretende ampliar o Brasil Integrado, alcançando todas as regiões do país, fortalecendo o controle das divisas interestaduais e intermunicipais.

Operação Brasil Integrado no Maranhão


SSP-MA

Durante os dias 3 e 5 deste mês, foi deflagrada no estado do Maranhão, a 2º edição da Operação Brasil Integrado, nas cidades de Santa Inês, Presidente Dutra e no entorno destes municípios. A ação, que é coordenada pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), aconteceu simultaneamente em todos os estados da região Nordeste.

Marcos Affonso
Secretário de Segurança Pública do Maranhão, Marcos Affonso
O embrião do projeto foi o Centro Integrado que atuou na Copa do Mundo nos meses de Junho e Julho deste ano. Diante dos resultados positivos obtidos, o Ministério da Justiça e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) propuseram, em reunião, a criação do Centro Integrado de Segurança Pública Nordeste, para realizar operações integradas, objetivando a redução da criminalidade.

O projeto é supervisionado pelas Secretaria estaduais de Segurança Pública, com apoio de todos os órgãos envolvidos. Entre os dias 2 e 4 de Setembro, aconteceu a 1º edição da Operação. No Maranhão, os trabalhos foram concentrados nas cidades de São Luís, Buriticupu, Arame e Grajaú. Desencadearam as ações: as Polícias Federal, Civil, Militar, Rodoviária Federal, o Corpo de Bombeiros Militar e o Exército Brasileiro.

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Marcos Affonso Júnior, destacou que os resultados da operação foram bem positivos. “A atuação conjunta das forças policiais potencializa as ações e, consequentemente, otimiza os resultados. O sistema unido é capaz de gerar soluções eficazes no combate à criminalidade”, ressaltou.

O foco da ação é o combate a Roubos a Instituições Financeiras, mas vai ser realizado um pente fino nos locais, no intuito de apreender armas de fogo, de drogas, de veículos, de explosivos; além de dar cumprimentos a mandados de Prisão e de Busca Apreensão.

Marcos Affonso pontuou que a escolha dos municípios escolhidos para receberem a operação no Maranhão foram baseados em levantamentos realizados pela Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) e dos Serviços de Inteligência dos órgãos envolvidos no projeto.

No próximo dia 12, o Ministério da Justiça e a Senasp vão promover um encontro como os secretários estaduais de Segurança Pública e representantes das forças policiais.
Publicidade