Al-Qaeda na Síria ameaça países da coligação

Publicidade
Turquia
Diário Digital e Lusa

Lisboa, Portugal. A Frente Al-Nosra, ramo sírio da Al-Qaeda, ameaçou com represálias “em todo o mundo” os países da coligação liderada pelos Estados Unidos que está a realizar ataques aéreos aos 'jihadistas' na Síria.

"Esses Estados cometeram um ato horrível que vai pô-los na lista dos alvos das forças jihadistas em todo o mundo", advertiu o porta-voz da Al-Nosra, Abu Firas al-Suri, num vídeo divulgado na internet, classificando os ataques aéreos como uma "guerra contra o Islão".
Em agosto, os Estados Unidos começaram a bombardear alvos do grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque.

Esta semana, a operação estendeu-se à Síria e à Al-Qaeda, bem como alvos do EI, com aviões de combate não só dos Estados Unidos, mas também do Bahrein, Jordânia, Qatar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos.

O porta-voz da Frente Al-Nosra destacou esses países árabes, dizendo que eles tinham alinhado "pelo lado da opressão e dos infiéis" e que "tal terá consequências".

"Estamos envolvidos numa longa guerra... essa guerra não acabará em meses, ou num ano, ou em alguns anos, mas poderá durar décadas", declarou Al-Suri, acrescentando: "Temos capacidade para aguentar".

Nota do editor da Aldeia: Ainda bem que o Brasil permanece com sua posição pacifista. Dilma e Marina bem diferente de Aécio Neves defendem que o País continue defendendo o diálogo e contrário à quaisquer posições belicosas.
Publicidade