Carlos Brandão faz um negócio da China

Publicidade

Maranhão e China estreitam relações para novas parcerias

O Governo do Maranhão está avançando nas parcerias com a China. O vice-governador Carlos Brandão [Destaque da foto de @governoMA) participou, este mês, de reunião, no Rio de Janeiro, com representantes de setores da província de Shandong, terceira maior província da China, que é referência nas áreas portuária e na produção de aço e agricultura. As propostas em debate envolveram investimentos chineses no Maranhão.

Ao representar o Governo do Maranhão na agenda no Rio de Janeiro, a convite dos membros da Associação da Bolsa de Estudos no Exterior (Província de Shandong), Carlos Brandão apresentou a proposta do governador Flávio Dino de discutir e estreitar projetos que aproximem o Maranhão e a China e possam alavancar os percentuais relativos à qualidade de vida da população maranhense.

Para Carlos Brandão, este é um momento especial vivido pelas duas economias. Seguindo o curso do estado da Bahia, pioneiro no Brasil em receber investimentos chineses, o Maranhão aposta em sua vocação para o extrativismo e agricultura, aliados ao grande potencial hidrográfico, rodoviário e marítimo de que dispõe.

“Maranhão e China correspondem a economias em ascensão, cada uma com sua etapa e potenciais de crescimento em distintas evoluções. Complementares, portanto. A importância dessa agenda é a de viabilizar para o nosso estado e para o Brasil o ambiente mais favorável possível para que os empresários concretizem negócio com a qualidade e apoio técnico que almejamos”, explicou o vice-governador.

Ele também revelou que a vinda dos membros da Associação da Bolsa de Estudos no Exterior (Província de Shandong) ao Brasil, acompanhados de Zhao Qiang (vice-presidente), Xiu Lubin (executivo de Negócios), Du Yanggang (Cidade Yantai) e Wang Naiguang (Cidade Hese) é fruto da missão liderada pelo governo maranhense e que incluiu a visita do vice-governador à Shandong, como parte da programação de negociações com a China, iniciada no ano passado, com a essencial intermediação da CBSteel, empresa chinesa que irá implantar o polo siderúrgico de Bacabeira, no Maranhão.

Carlos Brandão também relacionou os setores da indústria, da mineração e da agricultura como os de maior interesse comum entre Brasil e China. Ele lembrou que, assim como este dois países, estão em desenvolvimento a Rússia e a África do Sul - o famoso Brics -, alvo dos holofotes da reunião realizada no início deste ano, em edição na China, e que apresentou como principal pauta a implantação do complexo siderúrgico de Bacabeira.

“A cooperação entre nosso estado e a província de Shandong, portanto, é relevante para o crescimento de nossos países”, afirmou o vice-governador.

As ideias discutidas na cidade do Rio de Janeiro devem sair do papel em breve e caminharão em conjunto com a instalação da siderúrgica de Bacabeira. O encontro foi celebrado com a assinatura de um Termo de Intenção, a fim de aproximar ainda mais as negociações entre o Governo do Maranhão e a província de Shandong, por meio de convênio de Províncias-Irmãs.

Agência de Notícias Maranhão
Publicidade

Publicidade