UnB: nazistas assassinam Jiwago Henrique

Publicidade
É com pesar que informamos que Jiwago Henrique Jesus de Miranda, estudante de filosofia da UnB, foi assassinado à pedrada na UnB. Seu corpo foi encontrado na Colina, local de moradia de professores, na tarde deste sábado, dia 23 de junho.

Jiwago é estudante antigo na UnB, segundo amigos e conhecidos publicaram na rede social, ele entrou em 2004 para o curso de Ciências Sociais e tinha acabado de concluir o curso de Filosofia. Em uma frágil situação, desenvolveu transtornos mentais, não estava em tratamento e estava em situação de rua.

Jiwago foi um dos ocupantes da reitoria em abril desse ano. Permaneceu ocupado com os demais estudantes durante toda a ocupação. Seu assassinato é um recado claro de um grupo nazista instalado na UnB contra todos os ocupantes e contra a esquerda. Foi um crime premeditado. Mataram, com uma pedrada, aquele que era o mais fragilizado de todos nós.

Publicamos:
GUILHERME ESTRELLA: O PETRÓLEO ERA NOSSO!
SÉCULO 21: EUA AINDA ENCARCERAM CRIANÇAS
MARCO AURÉLIO PARTICIPA DE INAUGURAÇÕES


A extrema-direita há muito vem crescendo no país e na própria UnB. Em 2016, um grupo invadiu a universidade com bombas contra a organização de uma greve estudantil e de funcionários. Tentaram arrombar o Centro Acadêmico de Sociologia e agrediram estudantes.

Desde o golpe de Estado, a extrema-direita passou a ter uma atuação bem mais ostensiva e de intimidação contra a esquerda na universidade.

Na ocupação da reitoria de abril desse ano, “agroboys” agrediram mulheres que atuavam no piquete da greve dos terceirizados. Em resposta, o CA de agronomia foi pichado por setores do movimento estudantil de esquerda com dizeres antifascistas, antirracistas etc.

Agora um dos estudantes da ocupação aparece morto. O que mostra uma escalada da violência desses grupos fascistas que atuam na universidade.

O assassinato de pessoas como Jiwago, que além de estudante era negro, morador de rua e portador de transtornos mentais, é um exemplo claro de que se trata de uma atuação de células e agrupamentos claramente nazistas.

O fato ocorre dez dias depois da vitória da direita e extrema-direita (Aliança pela Liberdade) nas eleições do DCE e não é por acaso. Enquanto a Aliança aparece como a atuação da direita e extrema-direita pela via institucional, gangues nazistas atuam pelos meios extralegais.

Esse assassinato mostra que há uma evolução na atuação dos fascistas, que até então agrediam e assassinavam pessoas nas periferias, como uma espécie de “treinamento”, agora estão matando por motivos claramente políticos.

É um aviso claro, mas feito de uma maneira que escape do radar da esquerda. Mataram aquele cuja morte consideraram que não ia ter tanta repercussão nem comoção, por se tratar de uma pessoa em situação de rua. Esse assassinato se soma às dezenas de outros assassinatos de lideranças de esquerda.

Solidariedade

Nos solidarizamos à família e aos amigos de Jiwago e chamamos toda a comunidade da UnB a realizar um ato público em sua homenagem, que discuta formas de combater o fascismo para evitar as próximas ações desses grupos.

Jornal O Homem Livre
Advertisemen