Roseana e Temer disputam eleição em 2018

Publicidade
Ele não é um presidente comum. É o o mais impopular da história do Brasil. O presidente Temer superou a marca de impopularidade do ex-presidente Sarney, seu fiel aliado. A outra é uma ex-governadora também incomum, governou 14 anos o Maranhão e tirou dos maranhenses seu único patrimônio: o sossego púbico. Na gestão de Roseana a violência disparou e as facções ditavam o ritmo como acontece, atualmente, com o Rio de Janeiro.

Temer anunciou logo após tomar posse que completaria seu mandato sem disputar a reeleição. Roseana, a filha de Sarney anunciou sua aposentadoria da política no ano que deixou o Palácio dos Leões, sede do governo local.

Promete ele, promete ela

Ambos descumpriram mais uma promessa e agora estão juntos numa mesma eleição. Depois do golpe, de abril de 2016, ele prometeu retornar o crescimento do PIB nos mesmos níveis dos governos Lula. Ainda na década de 1990, ela prometeu transformar o Maranhão num tigre asiático.

Descumpre ele, descumpre ela

Temer anunciou sua candidatura à reeleição. Quer que o País suporte seis anos seguidos de sua desastrosa política econômica. Roseana botou sua caravana na estrada, pretende completar 18 anos ou mais, no comando do governo. Eles estão casados nesta eleição, de braços dados na mesma legenda, o MDB.

O fim de Temer, o fim de Roseana

Nem Lima Barreto e tampouco Policarpo Quaresma sonharam com um fim desses. Em outubro, a população julgará Temer e Roseana, nas urnas. Sem tapete e sem tapetão. Sem Olga e sem Ricardo. Talvez sobre para os dois a dinheirama que ajuntaram fazendo política. Será?

Frederico Luiz
Advertisemen