Veja as reivindicações dos policiais em greve no MA

Publicidade
Greve da PM
Greve: Policiais decidiram paralisar atividades nesta concorrida assembleia, ontem à noite
Sargento Ebnilson Carvalho

São Luís, MA. Os militares estaduais do Maranhão decidiram na noite de ontem, 27/, em Assembléia Geral deflagrar a segunda greve na história das Corporações.

A capital maranhense deu o pontapé inicial na greve da PM (Polícia Militar) e BM (Bombeiro Militar), cerca de pelo menos 500 policiais e bombeiros militares pararam suas atividades desde ontem somente em São Luís.

Os líderes do movimento decidira acampar e instalar o comando da greve na Câmara de Vereadores de São Luís.

Segundo o comando de greve, é esperada uma adesão em massa de militares ainda hoje pela manhã.

Quatro cidades do interior do estado aderiram à greve, são elas: Imperatriz, Bacabal, Timon e Caxias. Outras ainda irão deliberar em assembleias nos respectivos municípios.

A greve foi deflagrada pela insatisfação da categoria com o governo do Estado.

Entenda o caso

As associações militares fizeram uma pauta de reivindicação para entregarem à governadora Roseana Sarney por intermédio dos respectivos comandos da PM e BM.

Veja: a pauta de reivindicação:

  1. Implantação de percentual de 18% no subsídio relativos ás perdas salariais
  2. Implantação dos índices nos termos da Lei de Remuneração (Escalonamento vertical)
  3. Implantação da URV concedidas a outras categorias em 2006
  4. Mudanças dos critérios de promoções e implantação da jornada de 40 horas semanas
  5. Alteração da redação do art. 22, da Lei Complementar nº 73/2004
  6. Criação da Promoção a Pedido para oficiais e praças da PM/BM
  7. Criação do Adicional de Qualificação
  8. Reajuste da Retribuição financeira temporária pelo exercício de função

Dos itens acima apresentados somente o 1 (em parte apenas 5,6% dos 18% reivindicado), 5 e 8 foram aceitos. A lei complementar foi aceita e o reajuste de 53% na função.

Direto da Aldeia Global publicou sobre a greve de 2011:
Imperatriz: manifestação de apoio a greve da PM
Cúpula da PM ameaça com processos de deserção
Pistolagem retorna a cena no MA com greve da polícia
Greve da PM e Bombeiros mobiliza blogosfera

Outra pauta posterior as reivindicações foi a anistia dos militares envolvido nas manifestações dos dias 26 e 13/03. Proposta essa não aceita, o Cabo Campos e o Soldado Leite foram responsabilizados pelas manifestações e ambos foram submetidos ao Conselho de Disciplina.

Em virtude da negativa do governo estadual da anistia administrativa e o baixo percentual de aumento, os policiais militares decidiram fazer uma nova greve, após 3 anos.

Ex-comandante da PM-MA, ex-chefe do gabinete militar, ex-comandante do 3ºBPM (Imperatriz), o
cel Francisco Melo (óculos) aderiu a greve dos policiais militares junto com associações do interior
Advertisemen