Com policiais civis em greve, pistolagem retorna à cena do Maranhão, comerciante foi abatido agora à noite

Publicidade
por Frederico Luiz

A gestão da segurança pública no governo de Roseana Sarney é marcada pelo retorno da pistolagem como prática para a resolução dos conflitos.

Governo Roseana é marcado pelo retorno da pistlolagem
Tanto na capital quanto no interior, este tipo de crime começa a ganhar contornos de prática comum. Hoje à noite, por volta das 20h, o assassinato de Aristides de Sousa Milhomem Neto, comerciante conhecido como Aranha, perto de sua residência, em Imperatriz-MA, comprova que os pistoleiros voltaram, definitivamente, à cena do cotidiano maranhense.

Ainda em dezembro de 2009, no governo de Roseana Sarney, o empresário assassinado agora há pouco, teve publicada no Diário Oficial do Estado, a concessão da  "Medalha Brigadeiro Falcão", honraria da Polícia Militar.

Ousados, nem mesmo o superintendente de polícia da capital está imune a este tipo crime, conforme foi divulgado hoje.

Os Blogues do Jean Carlo, Notícia da Foto, Só Falo a Verdade e Asmoimp noticiaram mais este homicídio. No Facebook, também houve repercussão As investigações, naturalmente, estão paralisadas com a greve por tempo indeterminado dos policiais civis sem que o governo, sequer, abra algum canal de negociação com a categoria.

Cápsulas de balas disparadas contra comerciante hoje à noite.
Apenas 30% do efetivo da polícia civil está em seus postos. Em vez de negociar, o governo do Maranhão pediu a decretação da ilegalidade da greve com antecipação de tutela, negada pelo desembargador Raimundo Nonato de Souza, conforme o presidente do Sinpol, Amon Jensen, publicou na página da entidade.

O escrivão Francisco Jailson de Andrade, assim pediu para publicar:

Brava Gente
É sempre assim: anuncia-se greve, pelegos se recolhem aos mandos e desmandos dos chefes imediatos, enquanto os guerreiros “vão à luta botar a cara a tapa”.

Mais uma vez a história se repete, o cenário é o mesmo, os protagonistas também, o inimigo está sempre bem resguardado.

É triste ouvir comentários sobre colegas (se é que se pode chamar essa espécie assim) que diante de sua total acomodação, tentam amordaçar um movimento justo e legítimo, e pior, para melhorar a qualidade de vida de todos, inclusive a deles mesmos(pelegos). Esse organismo se insurge justamente ou tão somente nestas épocas, são seres parasitas, locupletam –se da graça ou desgraça dos outros. A ideologia dessas pessoas é facilmente compreensível, vejam se não: “ora, não me vou unir aos mais fracos, vou ficar quietinho sob o comando do chefinho, quem sabe posso precisar dele amanhã?” Ledo engano, meu caro, na hora que você necessitar: “a porta de saída é cortesia da casa ou, no máximo – cada um responde por seus atos.”

Nesses 14 anos de polícia, jamais vi um Delegado interferir em Processo em favor de Investigador ou Escrivão, não que tenha nada contra alguma dessas autoridades, mas como dizia um velho amigo da carreira: “a gente só é equipe quando é pra cumprir os mandados deles; quando é pra usufruir dos nossos direitos...” Se existe o princípio constitucional da isonomia, ou se cumpre ou se a rasga a constituição.

Despeço-me, suplicando que não nos furtemos do direito de reivindicar, nunca abandonemos a causa, é princípio de vida. E pra levantar o ânimo dos guerreiros do Sinpol e da Polícia Civil fica meu grito: Acreditem! Vamos em frente!

Nossas lutas nunca foram em vão, esse clamor atinge uma totalidade inesperada. Encerro com a letra do hino que muito marca e retrata esse momento: “Brava gente brasileira! longe vá... temor servil: ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil.

Nota do Blogueiro: Mesmo antes de terminar a presente postagem, o Blog da Associação dos Motoboys de Quadra da Grande Imperatriz constatou outro crime na segunda maior cidade do Maranhão. Veja aqui.

Link Patrocinado:
Advertisemen