-->

O povo e o Frei Epifânio II

Publicidade
A festa começou com o Hino Nacional. Aplausos da galera para a execução do Hino Nacional que ficou a cargo da dupla imperatrizense César e Mateus. Em seguida, o Hino de Imperatriz, de autoria do ex-prefeito e ex-governador José de Ribamar Fiquene; palmas para Erasmo Dibel que cantou e encantou. Depois, a vez do Hino do Uruguai, a alegria era geral e palmas para o Hino dos "Hermanos". Antes, a torcida tinha aplaudido a entrada do Combinado JV-Imperatriz e os próprios uruguaios.
Advertisemen