-->

Maranhão tem pior desempenho no tratamento intensivo

Publicidade
O Ministério da Saúde recomenda que haja de 1 a 3 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes.
A falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos Hospitais do Ceará renderam ao Estado o terceiro pior índice da região Nordeste. O Ministério da Saúde recomenda que sejam de 1 a 3 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes. No entanto, aqui são 0,8. O Ceará ganha apenas da Bahia e do Maranhão, que têm 0,6 e 0,5, respectivamente. Na região Nordeste, em primeiro lugar está o Rio Grande do Norte, com 1,0, seguido dos Estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Piauí e Sergipe, empatados com 0,9. Os dados foram divulgados pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), referentes ao censo de 2009.

A pesquisa fez um mapeamento das Unidades de Terapia Intensiva nos 26 estados do País e no Distrito Federal. A Associação alerta que os resultados são preocupantes e apontam que regiões inteiras como o Norte e o Nordeste do País estão aquém da proporção recomendada pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o censo da AMIB, o melhor resultado foi alcançado pelo Distrito Federal, que oferece 2,4 leitos por 10 mil habitantes. Na região Sudeste, foram os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, com 2,1 e 1,9, respectivamente. Na região Sul, Rio Grande do Sul e Paraná, empatados com 1,7. Já o pior índice foi registrado pelo Estado de Roraima, com 0,1, seguido do Acre e do Maranhão, ambos com 0,5. Pará e Bahia ficaram com 0,6 e o Amapá, com 0,7. Empatados com o Ceará vieram os Estados de Rondônia e Tocantins, com 0,8.

Mais no Diário do Nordeste
Advertisemen