-->

A Boca é Quente mesmo!

Publicidade
Uma vítima dos confrontos de ontem em São João do Paraíso (140 km de Imperatriz) chegou ontem à noite no HMI (Socorrão). De acordo com a vítima, ele foi atingido por estilhaços de uma bomba atirada pela PM contra os manifestantes que atearam fogo no prédio da Prefeitura de São João do Paraíso e na ponte que dá acesso à cidade.

A manifestação teve como estopim, o retorno do prefeito Verde, Boca Quente (Raimundo Gaudino Leite) ao comando do poder executivo local, por meio de liminar concedida pela justiça estadual. A vítima de sobrenome Pinto foi medicada em Porto Franco e o Samu daquela cidade fez a condução a Imperatriz.

O vereador Rivaldo Marinho (PCB), mais votado nas últimas duas eleições daquele município disse que a situação é insustentável. "Tem servidor com sete meses de salários atrasados e fornecedores com tempo maior". Ele garante que hoje não haverá mais manifestações. "Não queremos o confronto, mas solução para o nosso município", confirma.

Cronologia da Crise

Em 28 de janeiro deste ano, a Câmara Municpal cassou o mandato do prefeito Boca Quente, o processo de cassação havia iniciado em 18 de setembro de 2009. Quando a Câmara instalou o processo, Gaudino (é grafado com "u", mesmo) respondia por dois pedidos de afastamento solicitados pela promotora de Justiça de Porto Franco, Nayma Ribeiro Abbas. Assumiu interinamente, o presidente da Câmara, vereador Amigo Adão (Adão Coelho). No dia 09 de fevereiro próximo passado, o desembargador Jamil Gedeon, do Tribunal de Justiça do Maranhão, concedeu liminar retornando Boca Quente ao cargo. Atraso de salários, de pagamento de fornecedores e improbidade administrativa são as acusações do MP, vereadores e manifestantes contra o prefeito.

A Secretaria de Segurança Pública deslocou ontem à noite, reforços policiais das cidades de Imperatriz e Porto Franco para São João do Paraíso.
Advertisemen