-->

Acordo põe fim a trabalho escravo em Ribamar Fiquene

Publicidade
A juíza do Trabalho Ângela Cristina Carvalho Mota Luna, da Vara do Trabalho de Imperatriz,  homologou acordo, na terça-feira, 20, em processo sobre trabalhos infantil e análogo à condição de escravo em fazenda do ex-prefeito de Ribamar Fiquene, Hilter Alves Costa, assassinado em 15 de agosto de 2007 com seis balaços disparados à queima roupa. Somente hoje a Assessoria de Comunicação do TRT deu publicidade ao fato.

Os herdeiros do espólio foram condenados a pagar R$ 25 mil, por dano moral coletivo e que será destinado à instituição indicada pelo Ministério Público. O descumprimento ocasiona multa de R$ 10 mil.
O representante da Família de "Ita Alves", como era conhecido Hitler na Região Tocantina, confirmou melhorias na situação dos empregados e a regularização da situação dos menores.
Advertisemen