José Reinaldo está sem o mel. E pode perder a cabaça!

Publicidade
O ex-governador José Reinaldo Tavares é uma das figuras mais queridas da oposição ao clã Sarney no Maranhão. Desde que decidiu romper com o grupo que o criou. Ele é o engenheiro da Frente de Libertação do Maranhão, a maior obra política desde as Oposições Coligadas da década de 1960.

Mas, sucessivos erros de Hosé Reinaldo tem fragilizado sua candidatura ao senado federal em 2018 no grupo do governador Flávio Dino. Ele escolheu ficar ao lado do presidente Temer. Porém, o presidente Temer nega-se a apoiar o atual deputado federal. E isso é ruim, muito ruim.

É óbvio que o presidente Temer conspira ao lado do PMDB e mesmo do PSDB. Noutras legendas, quem apoia Temer, o faz em troca de postos no governo federal. É o caso de Sarney Filho (Partido Verde) no ministério do Meio Ambiente. Outros deputados federais de outras legendas fisgaram outros postos chaves do governo federal.

José Reinaldo é diferente. Apoia Temer porque apostou na recuperação econômica do País até 2018. Em obras e serviços no Maranhão, como a modernização do Centro de Lançamento de Alcântara. E na facilitação de uma legenda para seus planos para a Câmara Alta do País.

Para José Reinaldo, nem o mel da economia e das edificações no estado. E nem a cabaça partidária. O governo Temer negará tudo ao ex-governador.

Onde José Reinaldo pode chegar

E neste andar, em julho do próximo ano, restará a ele tão somente as mesmas cabaças da dupla PMDB-PSDB. Está na hora do velho timoneiro despertar do pesadelo profundo que se meteu. E pensar que ele só tinha de ficar onde estava… no PSB!

Frederico Luiz
Publicidade