Aécio Neves recebeu propina de R$ 50 milhões

Publicidade
A Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Polícia Federal (PF) encontraram novos indícios de que o senador Aécio Neves recebeu propina para atuar em nome de empreiteiras na construção da Usina de Santo Antônio, no Rio Madeira, em Rondônia. De acordo com executivos da Odebrecht, Aécio recebeu R$ 50 milhões, repassados pela Odebrecht (R$ 30 milhões) e pela Andrade Gutierrez (R$ 20 milhões). As informações são do jornal O Globo.

A Odebrecht apresentou comprovantes bancários que comprovariam depósitos para o senador tucano, por meio de uma conta de offshore em Cingapura, que já havia sido citada por um de seus ex-executivos, Henrique Valladares, à PGR. De acordo com Valladares, a conta está vinculada ao empresário Alexandre Accioly, amigo e padrinho de um dos filhos de Aécio.

Aécio Neves e a Aalu

Em depoimento à PF, o ex-executivo e delator da Andrade Gutierrez, Flávio Barra, confirmou o repasse de R$ 20 milhões a Aécio por meio de um contrato com a Aalu Participações e Investimentos, empresa controladora da rede de academias Bodytech que pertence ao empresário carioca, a uma sobrinha dele e a um ex-banqueiro.

Jornal do Brasil
Publicidade