Neonazistas da AfD alcançam o parlamento alemão

Publicidade

Fantasmas ressuscitam na Alemanha

Extrema direita se torna o terceiro maior partido do pais

A eleição desse domingo 24/set na Alemanha provoca calafrios.

Pela primeira vez, a extrema direita, o partido AfD de Alice Weidel conseguiu entrar no Congresso - ultrapassou a cláusula de barreira - e se tornou o terceiro maior partido do país.

O partido da chanceler, Angela Merkel, um picolé de chuchu bem sucedido, CDU, foi o mais votado, mas perdeu, em relação à ultima eleição, mais votos que o moribundo partido da Social Democracia.

(Ela caiu de 46% em 2013 para 32% agora)

O partido da extrema-direita não podia ser mais claro: a Alemanha não tem nada a ver com o Islamismo.

E a questão da Imigração foi a questão central dessa eleição.

A eleição foi como um "terremoto".

Como o Brexit, na Inglaterra e a votação de Le Pen na França.

A Europa se inclina irreversivelmente para a Direita (para ser gentil)!

Por falar na França: para governar, Merkel vai precisar do Partido Liberal, FDP, que não concorda absolutamente nada com as ideias de Macron da França de "flexibilizar" as regras da União Europeia para salvar a Franca, a Itália e os pobres da Europa.

O fracasso da social democracia não surpreende.

Impressionante é a ascensão vertiginosa da extrema-direita!

A noite foi de Alice e não de Angela!

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada
Publicidade