Mala: PF prende o deputado Rodrigo Rocha Loures

Publicidade
Foi preso na manhã deste sábado Rodrigo Rocha Loures, que recebeu uma mala com R$ 500 mil em propina da JBS.

De acordo com a empresa, o dinheiro seria entregue a Michel Temer.

A partir de agora, o Ministério Público tem 15 dias para finalizar a denúncia que pode sacramentar a queda de Temer.

A informação foi confirmada à jornalista Mônica Bergamo por Cezar Bittencourt, advogado de Rocha Loures.

"O ex-parlamentar foi preso em sua casa, em Brasília, informa ainda Bitencourt. O advogado está em Porto Alegre, pegando avião para se dirigir à capital federal", diz a jornalista.

Há a expectativa de que ele possa fazer uma delação premiada, revelando quem era o destinatário do dinheiro.

Grávida de oito meses, sua mulher o incentiva a delatar Temer, que será denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial – um caso inédito na história do Brasil e de qualquer democracia moderna.

Brasil 247

O Dr. Dallagnol vai devolver a visita ao Rocha Loures?



Na véspera da derrubada de Dilma Rousseff, o procurador Deltan Dallagnol, o pregador de Curitiba, recebeu, como registra a Folha de S. Paulo, a visita do futuro (futuro?) homem da mala de Michel Temer.

É indício de uma articulação para que a “Força Tarefa” ajudasse a derrubar a Presidenta e ajudaria o novo Governo, sendo por ele ajudada, também?

Só nos critérios da República de Curitiba poderia ser.

Imagine, então se aparecesse uma foto do encontro: que escândalo!

Bem, há certamente um escândalo nesta história: o emissário de um vice-presidente ir procurar um membro do Ministério Público que não é o chefe da instituição para conversas que só se poderia ter institucionalmente.

Menos ainda porque Loures foi emissário de uma exigência dos procuradores, a de manter o delegado Rosalvo Franco como superintendente da Polícia Federal no Paraná, o que caracteriza uma interferência indevida nas atribuições do diretor geral da PF e no Ministério da Justiça.

A menos que o Dr. Dallagnol negue que tenha sido este o conteúdo da conversa e diga que a visita foi de cortesia, de caráter pessoal.

Neste caso, poderia devolvê-la agora que Loures está em dificuldades.

Ou será que vai esperar que o ex-deputado, se Temer cair e perder o foro privilegiado, seja transferido para Curitiba sem dar ao procurador o trabalho de viajar.

Fernando Brito, Tijolaço

Nota da Redação: Como uma coisa puxa a outra, veja o advogado do presidente Lula contestando as alegações finais do MPF:


Publicidade >