Após se afastar do bando, Madeira perdeu o norte

Publicidade
O tucano Sebastião Madeira, ex-deputado federal por quatro mandatos consecutivos e dois mandatos consecutivos na prefeitura de Imperatriz-MA sempre foi acostumado a trocar as penas de acordo com a conveniência e fez isso com maestria transferindo a dor da muda para suas novas parcerias.

Porém, a vida lhe pregou uma peça. Desde que perdeu a eleição para a sua sucessão no ano passado e ficou sem mandato, perdeu a orientação.

Afastou-se do governador Flávio Dino (PCdoB) com o intuito de adquirir o comando estadual do PSDB e foi malogrado em seu intento. Chegou a se lançar candidato ao governo do Estado.

Em seguida, reaproximou-se do senador Roberto Rocha (PSB) para tentar uma vaga de senador na chapa do socialista. E o PSB virou adversários dos tucanos de uma hora para outra. A sigla está no rádio e na TV em defesa das Diretas Já e do afastamento do presidente Temer.

Seu mais novo movimento foi lançar a deputada federal Eliziane Gama (PPS) para o senado na chapa que seria encabeçada por Roberto Rocha. Porém, esqueceu de combinar a manobra com a parlamentar que defende a manutenção da aliança de sua legenda com o Palácio dos Leões.

Pelo jeito, a falta de mandato popular, após 22 anos consecutivos, desnorteou de vez o tucano, afastou-o do seu bando e todos fazem ouvidos de mercador para seu lúgubre chalro.

Frederico Luiz
Publicidade >