Escola Amaral Raposo recebe atualização

Publicidade

"Escola entregue em Imperatriz mostra que o Governo do Maranhão acredita na gente", diz aluno

A construção do Centro de Ensino Amaral Raposo, em Imperatriz, é um exemplo do fim do histórico de abandono e descaso com a educação pública estadual da cidade. Atendendo à comunidade escolar do Parque Alvorada I e II e da Vilinha, a escola de Ensino Médio beneficia 560 alunos em três turnos. A unidade conta, ainda, com 16 salas de aula, laboratório, sala de multimeios, biblioteca e auditório.

A obra entregue em 2016 pelo Governo do Estado, por intermédio das Secretarias de Estado da Infraestrutura (Sinfra) e da Educação (Seduc), também é fruto da emenda parlamentar do deputado estadual Marco Aurélio e da doação do terreno realizada pela Prefeitura de Imperatriz.

“A comunidade do Parque Alvorada I e II, da Vilinha e de bairros adjacentes está muito feliz em ter recebido essa escola do Governo do Estado. Ela significa uma mudança muito grande para quem precisava sair de perto de suas casas para estudar em escolas no centro ou em outras localidades”, conta Edmilson de Sousa, gestor escolar do C.E Amaral Raposo.

Muito esperada pela população, a Amaral Raposo é a primeira unidade escolar de ensino médio da rede pública da região e oferece educação para jovens que antes precisavam se deslocar para outros bairros para estudar.

Nova fase

Valéria Sousa, estudante do 2º ano, é uma das estudantes que levavam, em média, 40 minutos até o antigo prédio onde estudava. Ela afirma que a nova escola representa, além da economia de tempo, o início de uma nova fase. “Tinha que atravessar a cidade para chegar à antiga escola, o prédio era velho e muito sujo”, diz.

“Agora gasto metade do tempo e tenho um prédio todo novo e limpo, já que os próprios alunos zelam pela limpeza e pela manutenção da nova escola. Isso é só o início porque sabemos que muitas melhorias ainda serão feitas por aqui”, afirma a jovem de 16 anos.

O estudante Flaviano de Sousa está no 1º ano e diz que a mudança tem incentivado os alunos: “A escola mais perto de casa é muito melhor. Mesmo vindo de uma escola municipal no mesmo bairro, ainda tinha que andar muito para chegar até lá, e, agora, é diferente. Agora temos mais vontade de aprender”.

O incentivo também chega aos professores da escola. “O importante seria que todos os governantes tivessem essa sensibilidade de investir na educação de qualidade para os alunos e isso passa por vários fatores, desde prédios adequados para receber alunos até a oferta de qualificação para os professores. Esse legado, com certeza, é um bem que vai passar por várias gerações”, afirma o professor Juscyer Silva.

Manutenção

Zelar pela nova escola também é uma das grandes lições aprendidas pelos alunos maranhenses. “Nós sabemos que receber esse prédio novo é também uma responsabilidade. É como se soubéssemos que o Governo do Estado olha por nós e acredita na educação, acredita que seremos bons alunos. Por isso que fazemos questão de manter as salas limpas e de conservar o prédio”, conta Gioavana Ferreira, de 16 anos.

A conscientização dos alunos tem como finalidade garantir que as escolas sejam limpas e conservadas, propiciando melhor conforto, com impacto direto na melhoria do aprendizado.

Outras unidades

Além da construção da C.E Amaral Raposo, o Governo do Estado também investiu na readequação elétrica, hidráulica, de telhado, piso e climatização do C.E União, que fica no Parque Amazona. Também houve reforma em unidades como a Vespasiano Ramos, na Vila Nova; o Centro de Ensino Nova Vitória e o Barjonas Lobão, antigo Caic, no Bom Sucesso.

Fabiana Akira, Agência de Notícias Maranhão

Imagens de Carlos Pereira

Edmilson de Sousa, gestor da unidade: comunidade está satisfeita com nova estrutura

Valéria Sousa: antes, levavam em média 40 minutos até chegarem no antigo prédio

Professor Juscyer Silva elogia atitude e sensibilidade da atual gestão

Giovanna Ferreira fala da importância de também zelar pela nova escola

Estudante Flaviano Sousa diz que investimentos incentivam os alunos

C.E Amaral Raposo, em Imperatriz, é um exemplo do fim do histórico de abandono e descaso com a educação pública estadual da cidade
Publicidade

Publicidade