Forças de segurança reforçam ações de proteção à mulher

Publicidade
Durante o mês de março, definido como o mês da mulher, várias ações estão sendo desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Civil e Polícia Militar do Maranhão (PMMA), além de instituições que trabalham no atendimento da mulher vítima de violência. Serão várias ações preventivas desenvolvidas com palestras em empresas públicas e privadas, faculdades e em bairros e associações em locais com grande índice de violência.

Outro momento de intervenção para chamar atenção da sociedade sobre essa problemática são as mesas de diálogos com movimento das mulheres negras e de outras diversidades. Os encontros serão promovidos ao longo deste mês, momento em que serão distribuídos materiais informativos, orientando o que as mulheres devem fazer em relação à situação de violência. “As delegacias da Mulher de todo o estado estarão empenhadas em divulgar a campanha preventiva, fortalecendo o diálogo, no intuito de garantir o direito de todas as mulheres”, explicou a delegada Kazumi Tanaka, titular da Delegacia da Mulher.

Dia D
No dia 8 de março ocorrerá uma mobilização na Praça Deodoro, às 15h. A ideia é chamar atenção da sociedade sobre as ameaças de diversos direitos. No encontro, além das tradicionais lutas, como o fim da violência de gênero e o direito ao próprio corpo, também serão abordados os direitos previdenciários das mulheres, a luta contra o desemprego, dentre outras pautas históricas do movimento feminista.

Redução de casos de estupro
Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) apontam diminuição de casos de estupros em 2016, comparado com os anos anteriores. A queda chega a ser de 21% em relação a 2015, quando foram registrados 332 crimes. Se comparado com o ano de 2014, a redução é de 37%, quando 414 crimes desse tipo foram registrados.

Com base nos dados da Unidade de Estatísticas da SSP, entre janeiro e setembro, 2016 registrou 190 casos, contra os 251 registrados em 2015, o equivalente a uma queda de mais de 60 registros. Para a delegada titular da Delegacia Especial da Mulher de São Luís, Kazumi Tanaka, a diminuição dos crimes é resultado de várias ações conjuntas com a presença da polícia e de outros organismos do Estado, além do acesso à informação sobre os direitos da mulher e formas de apoio às vítimas de violência.

“O acesso à informação é um dos fatores para contribuir com o rompimento da violência contra a mulher. A mulher bem informada, ela recorre aos seus direitos. Além disso, o reforço com o policiamento ostensivo nas ruas e outros fatores contribui para a queda do número de casos deste tipo de violência que vitimam adultos e crianças. Outro fator que contribui para essa diminuição são as políticas públicas, como a iluminação de ruas e a limpeza de espaços isolados. Esse conjunto de medidas facilita a identificação dos agressores e inibe a sensação de impunidade”, ressaltou a delegada.

Dyego Rodrigues, Agência Maranhão de Notícias
Publicidade >

Recomendação do Google: