Dança dos partidos na Câmara de Vereadores

Publicidade

PT: Eleição decidirá reorganização

Mergulhado na sua maior crise de identidade ideológica após aparecer na Operação Lava Jato, o PT busca reerguer-se à sombra do espólio político e social que alçou a sigla ao posto de maior partido de esquerda da América Latina.

A direção nacional decidiu antecipar as eleições internas de outubro para julho. No Maranhão, a direção estadual será escolhida no começo de maio e nos municípios a disputa está marcada para 9 de abril. Em Imperatriz, o partido é presidido pelo professor Jorge.

Novo assento
Desenha-se nova configuração nas cadeiras partidárias na Câmara de Vereadores de Imperatriz. Processo deve ser anunciado ainda este mês.


Projeto adiado
Não, o deputado federal João Marcelo (PMDB) não deve transferir o domicílio eleitoral para Imperatriz, onde estaria planejando consolidar sua, digamos, segunda base eleitoral com a articulação do pai, o senador João Alberto, e apoio do prefeito Assis Ramos.

Pelo menos por enquanto, o parlamentar - anfritião do prefeito em Brasília - aposta mesmo as maiores fichas em Bacabal, seu domicílio original. Foi eleito presidente do PMDB de lá na última sexta, 3.

Um só corpo
A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a unificação das Polícias Civil e Militar promove seminário na Câmara Municipal de Juiz de Fora (MG), na sexta-feira (10), a partir das 14 horas. O evento foi proposto pelo presidente do colegiado, deputado Delegado Edson Moreira (PR-MG).

A comissão tem até o fim desta legislatura para estudar modelos que unifiquem a atuação dos cerca de 425 mil PMs e 117 mil policiais civis que atuam nos estados brasileiros.

Boca Livre
E a CPI que investiga irregularidades nas concessões de benefícios fiscais repassado a ações culturais por meio da Lei Rouanet realiza, nesta terça (7), às 14h30, audiência pública para ouvir o presidente da Academia Latino-Americana de Arte (ALA), Fábio Ferrari Porchat de Assis.

Os autores do requerimento para a realização da audiência, deputados Izalci Lucas (PSDB-DF) e Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), destacam que a ALA foi citada em depoimento prestado à Polícia Federal por Kátia Piauy, no âmbito da Operação Boca Livre.

Kátia, que trabalhava para o grupo Bellini Cultural (investigado por supostamente participar de desvios de aproximadamente R$ 180 milhões sob o “guarda-chuva” dos incentivos da Lei Rouanet), afirmou na ocasião que o Bellini Cultural teria a ajuda da ALA para falsificar recibos de doação de livros produzidos por meio de isenção fiscal.


Clique na imagem e acesse (PDF)


Publicidade