Bloco do Baleiro encerra Carnaval de Todos

Publicidade
Terça-feira, 28 de fevereiro de 2017, será conhecido como o dia em que a Beira-Mar virou mar. Ou melhor: foi tomada por um mar de gente, puxada pelo cordão do Bloco do Baleiro, última atração do ‘Carnaval de Todos’ na capital, realizado pelo Governo do Maranhão, em parceria com a Prefeitura de São Luís. Ao som de Zeca Baleiro e convidados, nem mesmo a chuva forte foi capaz de espantar a multidão alegre e colorida do mais novo circuito carnavalesco ludovicense.

A concentração do bloco começou às 17h, na Praça dos Catreiros, em frente à Casa do Maranhão, sob as picapes dos DJs Jorge Choairy e Ademar Danilo. No aquecimento para a festa, música para agradar todas as tribos: world music, sucessos da música popular, antigas marchinhas, e o reggae que faz bater mais forte o coração da Jamaica Brasileira. A animação era grande e a expectativa do público, também.

“É totalmente diferente de tudo o que já aconteceu em São Luís”, falou o montador Lucas Mesquita, 24 anos. “Causa até um certo espanto, é uma coisa muito boa! A gente está num clima de ansiedade muito grande para saber o que vai acontecer, né? Zeca Baleiro, Fafá de Belém, Chico César! A gente espera coisa muito boa, porque são três ícones. Sem falar dos convidados: Patativa, a dupla Criolina, e todo o pessoal que vem junto”, comentou o folião, no aguardo das atrações do Bloco do Baleiro.

“Achei a ideia fantástica, era uma coisa que estava faltando aqui porque ele [Zeca Baleiro] é da terra mas, antes, só tinha artista da terra mesmo no Carnaval de São Luís. Acho que esse bloco pode ser uma opção para trazer mais artistas, tomara que vingue e seja uma coisa regular”, opinou a professora Kátia Veloso, 47 anos, fã confessa do cantor maranhense.

“A expectativa é a melhor possível! Estamos embaixo de chuva, mas vamos acompanhar o bloco. Estamos acompanhando o circuito desde o pré-Carnaval e está sendo muito bom, porque tem atrações para todo mundo. Tem reggae, tem tambor de crioula, a gente já viu de tudo um pouco”, declarou a professora Vivian Silva, 44 anos.

Acorda serpente!
Antes de iniciar o show, Zeca Baleiro falou sobre a felicidade de cantar no ‘Carnaval de Todos’. “A disponibilidade do meu coração sempre houve, só faltava que me convidassem. Agora me convidaram, eu vim! Toquei durante 10 anos, por exemplo, no Carnaval de Recife, onde conseguiram instaurar uma festa multicultural, onde vai todo mundo, de todos os gêneros, do rap ao frevo. Eu espero que isso aqui seja um marco de um novo tempo, onde a gente possa juntar todas essas manifestações locais, também com gente que venha de fora e tenha alguma identificação com a nossa cultura”, falou o cantor.

Já no palco, o artista levantou a massa com a música ‘A Serpente’, composição em parceria com Ramiro Mussotto e Celso Borges: “Levanta miss serpente / Põe tua lente de contato / Mira dos mirantes / Vem ver como é que é / Vem sacudir a ilha grande / Vem dançar, vem dançar”. Na força do refrão, a multidão seguiu atrás do bloco, que formou uma grande serpente, caminhando pela Beira Mar, em direção à Praça Maria Aragão.

No repertório, outros sucessos do cantor como ‘Mamãe Oxum’, entidade das águas, uma saudação à chuva que lavou a alma de quem pulava no bloco. Raul Seixas, Reginaldo Rossi e outros compositores irreverentes também foram lembrados na voz de Zeca. A diversidade sonora foi completa, ainda, com as participações de Chico César, que animou o público com ‘Mama África’, e Fafá de Belém, que ao som de ‘Vermelho’, fez todo mundo cantar, a plenos pulmões: “Meu coração é vermelho!”.

Carnaval de paz
Fantasiado de Nelson Mandela, com uma camisa trazida de Moçambique e um quepe de Che Guevara, o governador Flávio Dino se juntou ao cordão do Bloco do Baleiro, onde dançou, foi abraçado, tirou fotos e interagiu para valer com a população. Além de ressaltar os 60 municípios apoiados pelo governo para a promoção da folia, por meio de R$ 7 milhões em investimentos, Dino destacou o sucesso das forças de segurança, na garantia de um Carnaval tranquilo.

“Os números demonstram que nós tivemos um Carnaval muito seguro. Nos circuitos de Carnaval no estado inteiro, não tivemos nenhuma ocorrência, zero ocorrência. Isso é extraordinário, é maravilhoso, porque demonstra, de um lado, a eficiência da polícia, de outro, a grande colaboração da população. Ao mesmo tempo em que nós demonstramos que, passo a passo, estamos na direção correta, com mais policiais, mais armamentos, mais viaturas”, afirmou o governador.

“Nós tivemos o Carnaval mais tranquilo da história do Maranhão. Além de vencer todas as marcas da gestão anterior, já estamos superando as nossas próprias marcas e isso é importante, em relação ao controle de todas as formas de violência e de criminalidade”, complementou o secretário de Segurança Pública do Estado, Jefferson Portela.

Ano que vem tem mais
O secretário de estado da Cultura e Turismo, Diego Galdino, agradeceu aos brincantes que fizeram da festa na Beira Mar, um Carnaval de todos. “Apostamos esse ano no circuito Beira Mar e deu muito certo. Nós estamos muito felizes porque o público abraçou a proposta e o maranhense voltou os olhos para o Carnaval do próprio estado”, disse Galdino. O gestor confirmou, ainda, mais Bloco do Baleiro para o ano que vem, entre outras novidades.

Carolina Mello, Agência de Notícias São Luís

Lente de Gilson Teixeira captou os melhores momentos













Publicidade

Publicidade