Ajuste do ICMS provoca aumento dos preços. Pode isso, Arnaldo?

Publicidade
Tentando desgastar o governador Flávio Dino, às vésperas das novas alíquotas de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para o Maranhão, sarneysistas espalham o terror nas redes sociais. Os poucos que ainda lhes dão credito, quem os lê, amedronta-se com a iminente hiperinflação que se avizinha por aqui.

Para começo de conversa, trata-se de ajuste em vez de reajuste. De alinhamento em vez de majoração. Para entender mais sobre as mudanças nas alíquotas, clique aqui.

O que espanta mesmo são os economistas do pau oco afirmarem que este ajuste provoca aumento automático nos preços dos produtos praticados em nosso estado. Santa ignorância, Batman!

Direto da Aldeia Global publicou sobre inflação na Região:
SAIU A CESTA BÁSICA E O MÍNIMO DE IMPERATRIZ
CESTA BÁSICA SOBE 0,97% EM IMPERATRIZ, FARINHA AUMENTOU 11%


Os preços sempre estão no ponto mais alto que o consumidor pode pagar por demanda, o que os economistas chamam de coeficiente de elasticidade. Por isso mesmo, recentemente de nada adiantou, para o consumidor, a Petrobras abaixar o preço da gasolina e do óleo diesel para as distribuidoras. Nem piscou, provocou foi um aumento no preço devido a corrida às bombas!

A Aldeia publica desde o começo deste ano, a inflação de Imperatriz, com o professor Antônio Ladeia da Devry Facimp e de São Luís, aferida pelo Dieese. E o consumidor notará que nada mudou. Quem vai notar a mudança, mesmo, são os produtores com a diminuição da sua margem de lucro.

Antes eles do que nós! Quem se habilita a preferir o parcelamento do pagamento dos servidores, congelamento dos vencimentos do funcionário público estadual, aposentadoria aos 50 anos, rodovias estaduais esburacadas ou sem pavimento, escolas de palha... enquanto os homens de negócios aumentam seus lucros com a redução ou manutenção dos impostos no patamar anterior.

Para quem ainda insiste em acreditar que o consumidor paga o imposto, relembre: empresários sempre fazem campanhas pela redução de alíquotas. Eles estariam mesmo com zelo pelo nosso rico dinheirinho... Pode isso, Arnaldo? Faça as contas antes de pretender substituir o Livro do Apocalipse:

Coeficiente de Elasticidade



ou



Frederico Luiz
Publicidade >

Recomendação do Google: