Plenário Popular: Pito nos auxiliares e greve chegou ao fim

Publicidade

O puxão de orelhas de Assis Ramos

As declarações do prefeito Assis Ramos na matéria distribuída esta semana por sua Assessoria de Comunicação são claramente uma cobrança pública aos secretários. Diz o comunicado que o prefeito quer ação, criatividade, trabalho e projetos. Parece que até ele já descobriu uma das razões da inércia de seu governo.

Nas duas primeiras semanas da gestão, a grande estrela do noticiário foi o secretário da Defesa Civil, Francisco Silva, oriundo da administração passada, às voltas com os alagamentos. Depois... Bom, depois veio a lacuna, à espera de um ocupante até agora.

Notícias das esquinas dão conta de que, ainda, a confusão e a desinformação tomam conta das repartições. Pouquíssimas funcionam a contento.

Prefeito Assis Ramos e sua equipe, em novembro de 2016. Foto: Blog da Kelly

O prefeito, que esteve no começo da semana em Brasília, de onde mandou notícias sobre um "reforço" para o programa da saúde da mulher, bate na tecla de que sem projetos não adianta viajar à capital federal, só serve para gastar com passagens de avião. Perfeito, prefeito! Isso mesmo.

Porém, ora o 'porém'. São Luís é mais perto, inclusive politicamente, e de onde uma canetada pode molhar a conta da Prefeitura poucas horas depois. Porém, parece uma distância a não ser batida nunca. A política, a eleição, o empurra-empurra das escaramuças partidárias, parecem não deixar.

Seja como for, eis um bom sinal do prefeito. O sinal de que passou do discurso à cobrança aberta, para que todos os cidadãos saibam que administrar uma cidade como Imperatriz não é para foliões extemporâneos. Se o prefeito está dando o exemplo, de acordar cedo, de trabalhar demais, de buscar soluções, que os subalternos façam o mesmo. A campanha acabou, a eleição se foi. Resta o desafio.

Longe do alvo
Sem 'pauta' para atacar Clayton Noleto, a rede sarneysista na blogosfera aponta a metralhadora emporcalhada para a equipe do secretário.

Caso de assessor do titular da Sinfra será devidamente esclarecido. Na justiça também.

Desafino na marchinha do bloco coronelista.

A boa notícia
As obras de construção do novo campus da Uemasul em área cedida pelo Sindicato Rural no Parque de Expsoições de Imperatriz devem começar em março, avisa o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

Reunido na quinta passada com o engenheiro responsável pela construção e sua equipe técnica, o secretário deu sinal para o início da tão esperada obra.

O guarda Pardal
Deputado Marco Aurélio (PCdoB) destaca as obras de iluminação e sinalização na rodovia Pedro Neiva de Santana em lançamento de nova fase da Operação RodoVidas da Polícia Rodoviária Federal. Foi nesta sexta, 17, em Imperatriz.

Segundo o deputado, a rodovia vai contar sim com redutores de velocidade eletrônicos.

O mistério II
O caso do suposto sumiço de um aparelho de raio X da UPA do São José parece ter sido solucionado. Supostamente, novamente, não houve sumiço porque não havia aparelho.

Novo caso pode vir às páginas das suposições. Agora o desparecimento de semelhante equipamento da Unidade de Saúde da Vila Nova.

Tchan, tchan, tchan, tchan...


Edição de sábado, 18


Edição de domingo e segunda, 19 e 20


Fim da greve
Acordo firmado no Tribunal de Justiça do Maranhão, com a participação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), encerrou a greve deflagrada pelo Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Estado do Maranhão (SINFA).

Durante a audiência – após colocada em discussão as propostas das partes envolvidas no processo – as entidades decidiram pelo término do movimento grevista, com a compensação dos cortes de ponto por meio de horas a serem trabalhadas em 24 meses – nos termos da Portaria nº 1065/2016 – e alteração posterior, que prevê a possibilidade de compensação intrajornada a critério do servidor.

Na audiência, ficou acordado que o Sindicato não deflagrará movimento grevista, pelo prazo de 24 meses, sobre as pautas objetos do processo em questão – realização de concurso público e reajuste de auxílio alimentação –, sendo assegurado à Aged o corte de ponto, caso haja descumprimento da compensação acordada na vigência do período de compensação.

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) – representado pela subprocuradora-geral de Justiça para assuntos jurídicos, Mariléa Campos Costa – manifestou-se favorável ao acordo. A homologação do ato foi feita de acordo com regramento do Novo Código de Processo Civil (CPC).

Participaram da audiência de conciliação o procurador do Estado, Vanderley Ramos dos Santos; o presidente do Sinfa/MA, Francisco Saraiva, acompanhado do advogado, Gedecy Medeiros; representando o Presidente da Aged, Roberval Raposo Júnior, acompanhado do advogado Giuliano Araújo.
Publicidade >







Recomendação do Google: