Museu do Piauí é reaberto na quinta, 2

Publicidade
O Museu do Piauí (MUP) - Casa de Odilon Nunes já tem uma nova data para ser reaberto ao público. Será nesta quinta-feira (2), em solenidade às 10h30. Na oportunidade, haverá apresentação do Quarteto de Cordas da Orquestra Sinfônica de Teresina e abertura da exposição temporária “Piauí Paisagens”, com fotografias de Aureliano Muller, Paulo Barros, Manoel Soares e Juscelino Reis.

O MUP [em Teresina, a capital do Piauí] possui acervo diversificado que compreende desde o período pré-histórico ao contemporâneo. A reforma, iniciada em junho de 2016, contemplou melhorias na estrutura física, além da implantação de um novo projeto museográfico. O palácio situado no Centro de Teresina ganhou novas salas, além de pinacoteca (galeria de pinturas) e recursos didáticos que auxiliarão no ensino-aprendizagem.

Nova organização no Museu do Piauí( Foto: Ascom Secult)O projeto contempla uma nova disposição das salas do Museu do Piauí, com o devido suporte, adequação e iluminação. “O museu tinha algumas salas dedicadas a exposições de artes, mas eram amostras que não tinham o devido suporte. Nós montamos uma pinacoteca com vários seguimentos na área das artes plásticas”, comenta o arquiteto responsável pelo projeto, Paulo Vasconcelos.

Organização
Na nova organização interna das salas do museu haverá espaço dedicado à arte sacra. As peças ganharão nova cenografia, possibilitando recursos de comunicação mais atrativos para o público que visita o local. Duas salas dedicadas às culturas negra e indígena serão montadas, além do tradicional espaço dedicado à história do Piauí.

Os ex-governadores piauienses também ganham lugar de destaque no palácio. Peças da família dos ex-governadores Eurípedes de Aguiar e Leônidas Melo, dentre outros, serão expostas no MUP. O museu também passa a expor aos visitantes peças da escritora e jornalista Genu Moraes, filha do ex-governador Eurípedes de Aguiar.

Novos espaços do Museu do Piauí
“Nesse novo projeto, o museu vai ficar mais atualizado, interessante, confortável e o acervo será mais valorizado. Passamos a dar a devida atenção às peças já existentes, que vão dividir o espaço com novas peças adquiridas e doadas para o nosso museu, que a partir de agora ficará à altura dos museus mais atualizados do Brasil. Esperamos, com isso, revitalizar o palácio e atrair um público ainda maior”, afirma a coordenadora do Museu do Piauí, Dora Medeiros.

Entre as novidades, Dora cita ainda a presença de objetos pertencentes às comunidades remanescentes indígenas do Piauí: Tabajara e Cariri. “O museu tem um papel muito importante na preservação dessa cultura indígena, que não poderia ficar de fora desse novo projeto”, completa a coordenadora.

A equipe do novo projeto realizou um trabalho de pesquisa que abrange a intervenção em vários espaços, com o objetivo de tornar o museu mais didático e, assim, melhorar a interação com as escolas. No pátio, será colocada uma espécie de linha do tempo referenciando os principais Novos espaços do Museu do Piauí( Foto: Ascom Secult)momentos históricos, para facilitar a compreensão de conteúdos vistos em sala de aula. O objetivo é que o museu se torne uma extensão das escolas, servindo como base para educadores na consolidação do ensino. Outra novidade é a aquisição de mais peças que retratam a cultura popular.

Reforma
O serviço contemplou a parte elétrica e hidráulica, incluindo ainda a climatização, que vai oferecer mais conforto aos visitantes. Desde 1980, o local não sofria uma intervenção como essa. A Coordenação de Registro e Conservação da Secult é a responsável pelo projeto da reforma do museu.

“Além da reforma física, que é a maior dos últimos anos, nós fizemos um trabalho de pesquisa sobre os espaços e ambientes que estão sendo refeitos. Reabriremos o museu com acervo restaurado e uma nova museografia”, afirma o secretário de Estado da Cultura, Fábio Novo.

Museu do Piauí( Foto: Ascom Secult)O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), investiu cerca de R$ 360 mil na reforma do Museu do Piauí. Além disso, o novo projeto museográfico, orçado em R$ 300 mil, foi realizado com apoio do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura (Siec).

Histórico
Em 1934, por iniciativa do professor Anísio Brito, foi criada uma sessão do Museu do Piauí no Arquivo Público. No entanto, o museu só seria fundado em 1941 e só em dezembro de 1980 ganharia o Palácio da Praça da Bandeira como sede própria, na gestão do então Secretário de Cultura, Wilson Brandão.

O Museu do Piauí possui um acervo eclético, com aproximadamente sete mil peças. Integram este acervo artefatos pré-históricos, como peixes e troncos fossilizados, louças da Companhia das Índias, porcelanas chinesas e inglesas, mobiliário e quadros do século XIX, como a famosa tela de “Dom Pedro II” de Victor Meirelles, além de obras de arte contemporânea de renomados artistas piauienses como Gabriel Archanjo e Dora Parentes.

Também são encontrados no acervo do Museu: cédulas, moedas, medalhas, indumentárias da guarda nacional, machados primitivos, urna funerária, arcos, flechas, artesanato piauiense, entre outras peças de relevância cultural.

Juliana Nogueira

As imagens do Museu do Piauí na lente da assessoria de imprensa do Estado:




Publicidade

Publicidade