MG: Procurador comemora com champanhe a morte de Marisa

Publicidade

Corregedoria do MP investigará procurador que pediu a morte de Marisa

O procurador de Justiça de Minas Gerais Rômulo Paiva Filho será investigado pela Corregedoria-Geral do Ministério Público do Estado depois de compartilhar no Facebook uma reportagem sobre a ex-primeira dama Marisa Letícia e escrever uma mensagem desejando sua morte. “Morre logo, peste! Quero abrir logo o meu champagne”, disse Filho, na rede social.

O perfil do procurador foi apagado após a repercussão do caso. A assessoria de imprensa do MPMG informou, na noite desta sexta-feira (3), que a Corregedoria-Geral está apurando os fatos e vai tomar as providências cabíveis.

Essa não é a primeira vez que Rômulo Paiva Filho se envolve em uma polêmica com questões políticas na internet. Em 2016, ele publicou um texto insinuando que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) deveria ser morta durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos.

Direto da Aldeia Global publicou sobre AVC de Marisa Letícia
A agonia da mulher do ex-presidente Lula
Marisa Letícia: a ética da Lava Jato e do PCC
Ex-primeira dama será cremada neste sábado, 4

“Quem vai acender a pira olímpica? Eu sugiro dar um banho de gasolina na Dilma, tacar fogo com a tocha e mandar ela correr em direção à pira. Que tal?, afirmou, também pelo Facebook.

Morte de Marisa

Marisa Letícia Lula da Silva, de 66 anos, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morreu nesta sexta-feira (3), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internada desde a última terça-feira (24), vítima de complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Boletim médico informou que Marisa morreu às 18h57.

Ela deixa quatro filhos, um de seu primeiro casamento e três do casamento com Lula.

O Tempo
Publicidade