Hospitais da prefeitura de Imperatriz são fiscalizados

Publicidade
Vereadores apuram denúncias no Socorrão
Uma comissão de Câmara de Vereadores, liderada por membros da Comissão de Saúde, visitou no final da tarde desta terça-feira, 7, as instalações do Hospital Municipal de Imperatriz (Socorrão) para verificar de perto a situação do hospital e apurar denúncias sobre a ausência de medicamentos, falta de vagas na UTI e as péssimas condições de conservação do prédio.

No Socorrão, os vereadores visitaram a farmácia e outros cômodos e conversaram com médicos, funcionários e pacientes.

Os vereadores também visitaram o Hospital Infantil (Socorrinho), onde há denúncias de faltas de vagas nas UTI´s.

A visita foi definida na sessão da manhã desta terça, após a Mesa Diretora e vereadores receberem uma série de denúncias sobre o funcionamento do hospital, o único de urgência e emergência mantido pelo Município.

Vereadores receberam a denúncia e à tarde já estavam no Socorrão. Foto: Reprodução, Blog da Kelly

“A gente sabe que a demanda da saúde não espera. Vamos sentar com o prefeito e o secretário de Saúde para pedir que o problemas seja resolvido”, informou o vereador Pedro Gomes (PSC).

Carlos Hermes (PCdoB) disse que recebeu denúncia sobre a a precariedade no fornecimento de alimentação. “Recebi a confirmação de que quinta-feira e domingo da semana passada serviram só arroz com linguiça”, afirmou.

Para o vereador Fábio Hernandez (PSC), a Câmara e a Prefeitura devem mobilizar os deputados das bancadas federal e estadual

para colocarem emendas diretamente para o Socorrão. “Sabemos que há faltas de vagas nas UTI´s adulta e infantil, mas também podemos ajudar com nossas emendas individuais”, justificou.

Alberto Souza adiantou que a comissão irá preparar um parecer a ser encaminhado à Mesa Diretora e a Prefeitura. Segundo ele, “está na hora de sair do discurso e partir para a prática”.

Hospital para crianças sem UTI, apontou a denúncia. Foto: Reprodução, Blog da Kelly

O vice-presidente da Comissão de Saúde, Ricardo Seidel (Rede), relatou que foi constatada a falta de medicamentos básicos, curativos, papel higiênico, alccol gel, “matérias básicos pra se fazer procedimento básico na urgência e emergência”.

Seidel revelou que a Comissão de Saúde vai, de imediato, fazer um relatório com todas as solicitações para que a Câmara Municipal possa se posicionar rapidamente, inclusive levando o caso ao conhecimento do Ministério Público.

O vereador Rildo Amaral (Solidariedade) solicitou relação de medicamentos e constatou que alguns ainda faltam na farmácia. A alegação era de que os fornecedores ainda providenciaram a entrega porque a “lista era muito grande”.

Participaram da comissão os vereadores Ricardo Seidel, João Silva, Ditola, Irmã Telma, Bispo Eudes, Pedro Gomes, Bebé Taxista, Adhemar Freitas Júnior e Maura Barroso.

Visita à CPL
A comissão também fez visita técnica à Comissão Permanente de Licitação (CPL) do Município para colher informações sobre a disponibilidade do governo em resolver logo processos licitatórios que contemple o Município com serviços de infraestrutura e recursos para a saúde.

Blog da Kelly

Plenário derruba convocação de secretário de Saúde

Por 14 votos contra, a Câmara de Vereadores rejeitou proposição do vereador Ricardo Seidel (Rede) que solicitava a convocação do secretário de Saúde nomeado, Ely Samuel dos Santos Silva (nomeado pelo prefeito Assis Ramos como interino e ordenador de despesas, sendo que o indicado é Alair Firmino), para prestar esclarecimentos sobre as condições de funcionamento do Hospital Municipal (Socorrão) e do Hospital Infantil (Socorrinho), assim como sobre processos licitatórios da secretaria, recursos encontrados em caixa e pagamentos, além de explicações sobre atraso de salários de médicos e outros servidores.

Em sessão movimentada, oposicionistas e governistas debateram principalmente a situação do Socorrão e comentaram a visita de uma comissão de vereadores ao hospital, na tarde de terça-feira, 7, para apurar uma série de denúncias, como falta de UTI’s e medicamentos na farmácia, superlotação, condições sub-humanas de atendimento de pacientes e precárias condições de trabalho de funcionários.

Proposição
Vereadores da base aliada do prefeito argumentaram que a convocação do secretário para prestar esclarecimentos em sessão aberta era desnecessária, sob alegação de que o secretário assumiu oficialmente tem poucos dias e que maioria das denúncias tem origem no governo passado.

Irritado, o líder do Governo, Hamilton Miranda, chegou a propor a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a saúde desde o governo passado de Sebastião Madeira. O vice-líder, Chiquim da Diferro, havia proposto antes a solicitação de um relatório constando valores recebidos e compromissos a serem honrados pelo Município na área da saúde.



Os líderes acordaram e a Mesa Diretora concordou em convidar o secretário para ser ouvido pela Comissão de Saúde, primeiramente.

A oposição defende que, dependendo das informações repassadas pelo secretário à comissão, ele seja convidado para ser sabatinado pelo Plenário.

A instalação de uma CPI não foi descartada, porém há poucas chances de aprovação.

Carlos Gaby, Notícia da Foto
Publicidade >

Recomendação do Google: