Agerp apoia Centro Pop em Timon

Publicidade
Para uns, eles são considerados invisíveis, enquanto para outros são visíveis apesar de vistos com olhares de desconfiança. São inúmeras causas que levam indivíduos a ter as ruas como moradia, por exemplo, o desemprego, violência doméstica, uso de drogas, alcoolismo e até a falta de afeto no lar. Com o objetivo de contribuir e desenvolver políticas públicas para essa parte da população, o Governo do Estado firmou, esta semana, parceria com o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rura (Centro Pop), vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Timon (Semdes).

A parceria será realizada por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), que compõe o Sistema da Agricultura Familiar do Governo do Maranhão. O Escritório Regional da Agerp de Timon vai dar apoio ao Centro Pop para implantação de hortas urbanas sustentáveis, como uma forma de incentivo ao trabalho de inclusão socioprodutiva com o cultivo de hortaliças.

De acordo com o gestor da Agerp de Timon, Aécio Borges, o Centro Pop tem buscado várias parcerias de instituições que possam ajudar que estes moradores sejam incluídos socialmente, e a produção de hortas sustentáveis é uma das maneiras de inclusão social e de trabalho. “Com a implantação das hortas sustentáveis vamos diminuir a ociosidade deles e, também, incluí-los na participação e convívio social. De início, estaremos capacitando estes cidadãos para iniciarem a produção e, futuramente, inseri-los na comercialização”, destacou o gestor da Agerp, Aécio Borges.

A Regional vai realizar, na próxima segunda-feira (6), uma capacitação sobre horticultura, como ponta pé inicial da implantação do projeto. Para o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, essa parceria tem a finalidade de assegurar direitos básicos ao cidadão e vai resgatar os vínculos interpessoais e familiares, autoestima e as habilidades que eles possuem.

“A Agerp se dispõe a contribuir para que estas pessoas tenham dignidade a partir de uma série de benefícios que estão sendo disponibilizados, como moradia, alimentação, saúde e agora a produção de alimentos”, pontuou o presidente da Agerp.

Samara Andrade
Publicidade