No PI, maioria fica sem pagar o Pato

Publicidade
O governo do estado do Piauí optou pelo aumento do investimento para reduzir os efeitos da crise nacional e para tanto implantou o Novo Regime Fiscal, a exemplo do Maranhão.

Logo, vem aqueles que querem a maioria da população como a principal pagadora do Pato da Crise.

Hoje, a Coordenadoria de Comunicação Social do governo do Piauí emitiu o Informe abaixo que reproduzimos na íntegra:

Informe Equilíbrio Financeiro

Ao chegar ao final do ano, todo mundo quer ver suas contas pagas e ter um pouco de dinheiro para investir ou adquirir algo. Para ter esse equilíbrio financeiro é necessário gastar menos do que se ganha. Essa é uma regra simples que serve para qualquer pessoa. Para o Governo do Estado não é diferente. O Novo Regime Fiscal tem como objetivo fazer com que o Governo não gaste mais do que arrecada. Isso é questão de organização e responsabilidade com a gestão pública.

A intenção é reduzir despesas primárias para que sobre mais dinheiro para investimentos. A meta é fazer com que 10% de toda a receita seja aplicada em investimentos em Saúde, Educação, Segurança e Infraestrutura, entre diversas outras áreas.

É importante ficar claro que o Novo Regime Fiscal não proíbe reajustes salariais, concursos, contratações e nem promoções. A verdade é que, com equilíbrio financeiro, todos estes benefícios serão mais fáceis de serem alcançados pelos servidores.

Mentira
- A PEC faz cortes nas despesas de pessoal e congela salários

Verdade
- Governo oferecerá reajustes, promoções e chamamento de novos concursados


Mentira
- A PEC tem como meta controlar as despesas incluindo corte nos investimentos
Verdade

- No Piauí a meta é ampliar investimentos em saúde, educação, segurança, justiça, social e infraestrutura, fazendo a economia crescer e melhorando a qualidade de vida


Mentira
- A PEC vai durar 10 anos

Verdade
- A meta é fazer com que 10% da receita do Estado seja aplicada em investimentos. Em 2016, o investimento já está em 7,5%. O plano é que a meta seja atingida em 2018.


Governo do Piauí
Publicidade