Aécio Neves: o pequeno ditador tucano

Publicidade
Democracia só presta mesmo quando a gente está na oposição. Nada mais parecido com um conservador do que um liberal no poder. As frases caem como uma luva para os tucanos que decidiram prorrogar, ontem, o mandato do mineiro Aécio Neves e dos membros da executiva nacional. Eleição agora, pra que?

Em outras palavras, o PSDB sepultou as pretensões do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de postular a presidência em 2018. Ele é considerado um patinho muito feio no ninho de lindos tucanos!

A decisão equivale a expulsão de Alckmin. Ele terá de procurar outra legenda para ser candidato a presidência. A saída pode ser o PSB. Ele até poderia sair de vice da Marina Silva. Será?

Mas, ele pode também tomar a decisão com o fígado ou mesmo com o estômago. Ficar até o fim no governo paulista para impedir outra vitória tucana no estado mais populoso do País. Será?

Uma coisa é certa, no PSDB, Geraldo Alckmin é carta fora do baralho. No Maranhão, a decisão enfraquece as pretensões do senador Roberto Rocha (PSB) que sonhava em sair governador ancorado na candidatura presidencial do paulista.

E Aécio, só pra contrariar, pode deixar a legenda apoiar a reeleição de Flávio Dino, para prestigiar seu escudeiro no estado, Carlos Brandão. Mas, a tendência é colocar o ninho na árvore do PMDB que cederia a vice e uma das vagas ao senado para o prefeito de Imperatriz que é José Serra desde beija-flor-abelha. Será?

Frederico Luiz



Nota da Executiva Nacional do PSDB

Com o objetivo de manter a unidade do partido, neste momento de crise econômica e política, a Executiva Nacional do PSDB decidiu prorrogar o mandato do seu presidente Aécio Neves e demais integrantes até maio de 2018.

A decisão foi aprovada por ampla maioria e contou com o voto por escrito do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do PSDB, e a manifestação expressa de 22 diretórios estaduais.

“O PSDB precisa mais do que nunca da união de seus líderes que, espero, na ocasião oportuna estarão também em torno de quem, em 2018, tiver melhores condições de apoio eleitoral e político pra levar o Brasil adiante”, defendeu Fernando Henrique em voto por escrito.

A prorrogação de mandato da Executiva Nacional está prevista no Estatuto do PSDB e já foi adotada em pelo menos quatro ocasiões diferentes. Entre os presidentes que tiveram seus respectivos mandatos prorrogados estão: Teotônio Vilela, José Aníbal, Tasso Jereissati e Sérgio Guerra.

A decisão da Executiva Nacional se estende também aos mandatos dos diretórios estaduais, salvo aqueles que se manifestarem contrários à prorrogação aprovada. As convenções dos diretórios municipais estão mantidas para maio de 2017, mas os novos mandatos terminarão em maio de 2018. (PSDB)
Publicidade