A asquerosa denúncia contra Lula. Arght!

Publicidade

O MP voou mais alto que o Grippen no arranjo feito contra Lula

Quando Lula deu declarações favoráveis à compra dos caça Rafale, franceses, por conta dos interesses estratégicos de uma parceria com a França, foi acusado de estar desrespeitando os pareceres técnicos da Aeronáutica que manifestava a preferência técnica do oficialato da Aeronáutica pelos suecos Grippen, foi acusado de “provavelmente estar cuidando do seu plano de aposentadoria”, como saiu na Veja.

Lula não comprou os caças e o negócio foi avaliado à exaustão pela FAB.

Agora o Ministério Público diz que Lula foi com Dilma ao funeral de Nélson Mandela para “acertar” com o líder do Partido Social Democrata e futuro primeiro-ministro da Suécia Sueco, Stefan Lofven, a compra dos Grippen!!!

E isso para que se pagasse ao seu filho a incrível comissão de R$ 2,5 milhões por um negócio de R$ 18,360 bilhões (US$5,4 bilhões).

Ou uma “comissão” de 0,01%!


Seria recomendável aos doutos procuradores – cuja experiência aeronáutica não deve ir muito além do check-in em aeroportos, que conversassem como o ex-comandante da Aeronáutica, Brigadeiro Juniti Saito, para saber quais as razões que levaram Dilma a referendar a opção técnica pelos Grippen e ao próprio Lula por não exercer o direito de escolher os Rafale, cuja compra considerava estrategicamente melhor para as relações internacionais brasileiras e que, mesmo assim, não desconsiderou a opinião da Força Aérea.

Quem sabe, conversando, soubesse que 100% do negócio é financiado pelo banco de fomento sueco SEK (o BNDES da Suécia), com oito anos de carência e 15 anos para o pagamento.

Direto da Aldeia Global Recomenda:
Nem mesmo após a divulgação da denúncia, por meio de nota, foi permitido que a Defesa tivesse acesso ao teor da acusação

Ou que o Governo sueco aceitou baixar a taxa de juros de 2,54% ao ano para 2,19% ao ano, o que representa uma economia de pelo menos R$ 600 milhões aos cofres públicos brasileiros.

Ou que 300 engenheiros e técnicos brasileiros vão passar pela Suécia para serem treinados – uma parte já foi, desde o ano passado – para produzir aqui boa parte do avião, moderníssimo?

E que o Brasil tem a franquia de se tornar, além da Suécia, ele próprio, exportador de aviões.

Ou que não se aprende alta tecnologia aeronáutica, como fez a Embraer, em cursos por correspondência.

Ah, sim, mas para não decepcionar os senhores, uma informação que não é prova, mas na mentalidade da elite brasileira já é o suficiente para uma convicção: o agora ex-primeiro-ministro sueco, o tal Stefan Lofven, tem conexões suspeitas: foi metalúrgico, como Lula, e não tem curso superior.

Capaz até de ser bolivariano e querer vir morar em Maricá.

Fernando Brito, Tijolaço
Publicidade

Publicidade