São Luís reduz homicídios e estupros

Publicidade
O Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado esta semana pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostrou que na capital maranhense houve uma diminuição de 11,8% no número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) registradas no país em 2015.

Segundo o anuário, São Luís ficou na frente de capitais como Cuiabá, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre, Salvador e Recife, que registraram entre -5,8% de redução, no caso de Cuiabá, e de 30,2% de aumento, em Palmas, no número de incidência de casos dessa natureza.

Os dados reafirmam a eficácia das políticas de segurança desenvolvidas pelo Governo do Maranhão em 2015, quando chegou a registrar queda de 20% em comparação a 2014.

Segundo o delegado-geral do Estado, Lawrence Melo, a existência de um cenário negativo estabelecido ao longo dos anos é uma das principais dificuldades do trabalho diário das forças de segurança. “É uma realidade desafiante, mas que não se modifica da noite para o dia. Nossa polícia tem sido compromissada com a garantia de mais segurança ao cidadão. É um trabalho conjunto e estamos firmes para mudar estes números negativos”, enfatiza Melo, que afirma ainda que os resultados serão vistos com mais clareza a médio e longo prazo.

2016
De janeiro a setembro deste ano, o número de crimes letais contra a vida em todo o Estado foi 20% menor que o do mesmo período de 2014. A principal redução ocorreu na cidade de São Luís, onde o número total de crimes violentos letais caiu de 521 em 2014 para 411 este ano.
Downloado (xlsx)
Download (pdf)
Já as lesões seguidas de morte tiveram queda de 71% no acumulado de janeiro a setembro deste ano. Os casos de estupro também seguem trajetória descendente importante. Em setembro, houve 30% menos casos na Região Metropolitana de São Luís. Ao longo deste ano, a queda foi ainda mais significativa: 40% menos casos na comparação com o mesmo período de 2014.

Redução de estupros em São Luís

São Luís é a 7º capital brasileira na redução de crimes de estupro em 2015, de acordo com o 10º Anuário de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira (03) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo o documento, a queda foi de aproximadamente 20%, duas vezes maior que a média nacional.

De acordo com o Anuário, a taxa de estupros da capital maranhense, referente a 100 mil habitantes, foi de 24,1 em 2014 e 19,1 em 2015, representando uma redução de 20,6%. Na média das capitais brasileiras, a taxa foi de 25,2 em 2014 para 22,8 em 2015, resultando em uma diminuição de 9,5%.

Entre as capitais brasileiras, São Luís é a sétima colocada na queda de crimes contra a liberdade sexual. Na frente, estão: Porto Alegre (RS), com 48,4%; Palmas (TO), com 39,4%; Cuiabá (MT), com 33,9%; Boa Vista (RR), com 31,8%; Florianópolis (SC), com 21,7% e Brasília (DF) com 21,4%.

Região Metropolitana

A Região Metropolitana, que compreende São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, também apresentou queda de 24,3% dos casos de estupros, entre 2015 e 2016. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e se referem a um comparativo do período que compreende os meses de janeiro a setembro.

De acordo com a SSP, foram 251 estupros registrados em 2015 e 190 em 2016, com uma queda de mais de 60 ocorrências. Para a titular da Delegacia Especial da Mulher de São Luís (DEM), delegada Kazumi Tanaka, muitos fatores contribuíram para a diminuição deste tipo crime, como policiamento ostensivo nas ruas, identificação e detenção dos suspeitos e ações preventivas, desenvolvidas em parceria da Rede de Proteção à Mulher Vítima de Violência.

“Nós desenvolvemos um trabalho preventivo nas associações de bairros, órgãos públicos e escolas, sempre levando informações sobre os direitos das mulheres e ajudando a trabalhar a autoestima, para que o medo de denunciar as práticas de violência seja superado”, disse a delegada.

Dados confiáveis

Ainda de acordo com o Anuário de Segurança Pública, o Maranhão pertence aos estados do Grupo 1, com maior qualidade de dados registrados. A alta confiabilidade deve-se ao fato do estado ter incluído no levantamento do ano passado, os dados de 80 cidades que não eram computadas até 2014.

Os números do Anuário são baseados em informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do próprio Fórum Brasileiro de Segurança.

Fabiana Akira e Carolina Melo, Agência de Notícias Maranhão
Publicidade