Halelluya promove doação de sangue

Publicidade
Diante da unidade móvel do Centro de Hematologia do Maranhão (Hemomar), equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES), completamente reformada e equipada, muitos homens e mulheres, pela primeira vez, doaram sangue. Instalada em frente à Praça Maria Aragão, durante a 15ª edição do Festival Halelluya, realizado pela Comunidade Católica Shalom com a parceria do Governo do Estado, o atendimento teve início neste sábado (19) e prossegue até este domingo (20).




Empenhados em salvar vidas, sobretudo de pessoas fora do seu convívio social, candidatos a doação de sangue já presenciaram, em seu ciclo pessoal, a urgência e necessidade das bolsas de sangue. Altemar Rego Silva, de 38 anos, recorre com frequência a um amigo da família, quando há necessidade de doação de sangue, e foi justamente dele que o eletrotécnico recebeu um ultimato. "Você precisa ter coragem para doar”.

“Na minha família sempre tem necessidade de doação. Eu tinha medo de doar, não sei explicar o motivo, apenas tinha medo. Aqui, no Halelluya, já sabia do atendimento previsto do Hemomar, e doei. Fui encorajado pelo meu amigo, meu irmão e minha afilhada”, comemorou Altermar Rego Silva.





O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, presente ao evento, acompanhou o ato solidário dos voluntários. “Por um lado, nós voltamos ao que foi dito quando tomamos posse, em maio deste ano, que é fazer mais com menos. A unidade móvel do Hemomar estava parada há alguns anos, não fazia sentido a gente ter um instrumento desses parado no pátio da SES. Fizemos a reforma do ônibus inteiro – toda a parte elétrica e da refrigeração. Temos quatro pontos simultâneos de coleta, sendo também um instrumento de cidadania e que promove a aproximação das pessoas com a Secretaria", afirmou.

A estudante universitária Hellen Veloso de Amorim, de 24 anos, levou um tempo até tomar a decisão pela opção voluntária de sangue. Quando chegou à unidade móvel do Hemomar, foi orientada pelos profissionais de saúde. Preenchendo todos os requisitos, desde a apresentação de uma identificação com foto, formulário com dados pessoais, atendimento na triagem, verificação de peso, pressão e teste para verificar eventual caso de anemia, assim como avaliação clínica, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde (MS), a estudante foi considerada apta para doação de sangue.

Quinze minutos depois de realizar os procedimentos, Hellen Veloso já estava fazendo contato com a mãe, compartilhando sua primeira doação de sangue. “Minha vó recentemente precisou de sangue. Percebi como é importante a doação. Aproveitei a presença da unidade do Hemomar e, já que estou bem de saúde, resolvi doar”, disse a estudante.

A médica da equipe do Hemomar, Maria do Rosário Ferreira, responsável pela triagem clínica nas coletas externas, destacou que os critérios adotados garantem a qualidade do sangue disponibilizado. “Todas as vezes que um candidato manifesta interesse no ato voluntário de sangue, ele passa por todas as etapas do atendimento, independente da condição da primeira doação ou de doador regular”, explicou.

Solidariedade

A presença do Hemomar, em eventos estratégicos, permite criar uma rede de solidariedade, estimulando o ato voluntário de doação de sangue e, se possível, de forma continuada. “Nós temos uma estratégia para estimular doações, também voltada para o público mais jovem, para que ele se torne um doador, formando um exército de voluntários de doadores de sangue”, pontuou Carlos Lula.

O secretário Carlos Lula e os representantes da Comunidade Católica Shalom, o coordenador do evento, Janilson Guedes e o missionário da comunidade católica Shalom, Adalberto Souto, acompanharam o jovem médico Leonardo Correa Sousa, de 28 anos, primeiro atendimento da ação de doação voluntária, iniciada neste sábado (19). “Doei pela primeira vez em 2007 – um trote positivo no período que iniciei o curso de medicina. Mantenho as doações”, explicou o médico.

O missionário da comunidade católica Shalom, Adalberto Sousa e Silva, destacou a importância da parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). “É uma bela parceria. Para nós, é muito significativa. Queremos transmitir a mensagem cristã, a mensagem do evangelho, que é essencialmente salvar vidas”, disse.

Andréa Gonçalves, Agência de Notícias Maranhão
Publicidade