Expansão da AVB atrai mais indústrias 〠

Publicidade
Os trabalhos de atração e expansão de empreendimentos, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (Seinc), estão contribuindo para o fomento de indústrias no Maranhão. Recentemente, o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, e uma comitiva formada por autoridades e empresários, visitou a Aciaria Aço Verde do Brasil (AVB), localizada em Açailândia.

A comitiva acompanhou o andamento dos trabalhos da siderúrgica, instalada na região industrial da cidade. A empresa, que faz parte do grupo Ferroeste, é considerada uma das mais modernas e sustentáveis do mundo. Com a produção de tarugos de aço, pretende expandir o empreendimento com laminação para produção de vergalhão e fio-máquina de alta qualidade, o que pode atrair para Açailândia várias indústrias.


Instalações da laminaria, segunda fase do projeto da AVB, que deve atrair diversas indústrias para a região
Instalações da laminaria, 2ª fase da AVB, que deve atrair indústrias para a região. Foto: Adriano Martins
O secretário Simplício Araújo explicou que, por intermédio da siderúrgica, é possível ver, na prática, o adensamento da cadeia produtiva do ferro no Maranhão. “O Gusa, antes, saía aqui de Açailândia para a exportação e não agregava muito para cidade. Hoje, essa perspectiva que se desenha com esse empreendimento vai atrair para Açailândia diversos empreendimentos. A gestão estadual apoiou esse empreendimento desde o primeiro dia de Governo”, afirmou o secretário.

Com a concentração de um forte polo siderúrgico, a cidade de Açailândia se recupera da crise que atingiu o setor, provocada após a queda no preço do ferro-gusa no mercado internacional, especialmente nos Estados Unidos. Com as ações em prol da economia realizadas pelo Governo Estado e a expansão das atividades da AVB, o prefeito da cidade, Juscelino Oliveira, acredita que a cidade voltará a ter a maior renda per capita do Maranhão e continuará a atrair gente de todo o Brasil.

“Nós temos colaborado, não só com a Aciaria, mas com todos os esses setores geradores de emprego e renda. Da mesma forma, que o Governo do Estado tem se esforçado muito, com o engajamento dos seus gestores, como o secretário Simplício Araújo. Com um empreendimento como este, nós estamos ajudando Açailândia, o Maranhão e todo o Brasil”, afirmou o prefeito.

A cadeia siderúrgica instalada no Maranhão envolve diferentes setores da economia, como o setor de serviços e mão de obra especializada na produção de aço e gases, voltados para o consumo interno e exportação para outros estados brasileiros. O início das operações da laminação, previstos para julho de 2017, vai fortalecer a cadeia produtiva do aço, gerando emprego e renda aos maranhenses.

Atualmente, a AVB em Açailândia emprega 350 pessoas. Sandro Raposo, diretor de operação e manutenção, ressalta que o constante diálogo com o Governo do Estado está sendo fundamental para a implantação da segunda fase do projeto. “Nós estamos na primeira fase do empreendimento e tivemos todo o apoio do Governo do Estado. Nesta segunda fase, a gente espera contar novamente com esse apoio e de toda a sociedade, para viabilizar esse projeto tão importante, principalmente para cidade e para o Maranhão”, disse.

Ao todo, o investimento do projeto é de aproximadamente R$ 600 milhões, apenas na primeira fase, grande parte do Banco do Nordeste. O diferencial entre a aciaria e as siderúrgicas de ferro gusa é o chamado aço verde, investimento ambiental realizado pelo polo siderúrgico maranhense em reflorestamento de áreas degradadas com eucalipto para produção sustentável de carvão vegetal.

Mayara Rêgo, Agência de Notícias Maranhão
Publicidade

Publicidade