STF suspende Operação Métis

Publicidade

Teori suspende operação de “juizeco de Renan” e avoca caso para o STF

O Ministro Teori Zavascki fez o óbvio.

Suspendeu a Operação Métis, na qual a Polícia Federal invadiu o Senado na semana passada e retirou o processo da 10ª Vara Federal do DF, levando-o para o STF.

A invasão de competência do juiz Vallisney de Souza Oliveira é tão evidente que custa a crer tenha sido praticada por alguém que é juiz de direito e professor universitário.

O absurdo pode ser provado em uma simples equação de frases.

Para que as varreduras nos gabinetes e casas de senadores fossem uma obstrução à Justiça seria preciso que fossem feitas com o objetivo de descobrir escutas legalmente autorizadas sobre eles.

Se a escuta é legalmente autorizada, só quem pode autoriza-las é o STF e todos os que as autorizam e realizam estão sujeitos ao mais absoluto sigilo funcional.

Direto da Aldeia Global publicou:
Carmen Lúcia, uma Ministra sem noção

Logo, o juiz Vallisney não poderia saber de sua existência.

Não se vai imaginar que havia escutas autorizadas e que ele sabia, porque assim ele estaria sendo cúmplicie de um crime, o de quebra de sigilo judicial.

Simples assim.

Mas a Doutora Carmem Lúcia, tomou, sem ressalvas, as dores do doutor que foi chamado de “juizeco” pelo presidente do Senado.

E as instituições entraram em pé de guerra.

E agora, que Teori mostrou, com um ato, que há razão na reclamação de Renan?


Espera-se que a Doutora Carmem Lúcia não o chame de “ministreco”, não é?

Mas os lobos, nas redes sociais, já o estão fazendo.

E se a atitude de usurpação de competência do magistrado – pois é este o caso, em tese – for parar no CNJ, a Doutora Carmem poderá ser imparcial, se tomou sua defesa de público, com palavras as mais duras?

O Doutor Vallisney é um homem muito importante, não se esqueçam.

Sob sua elevada prudência, seu descortínio jurídico e seu equilíbrio nas decisões está seu réu, Lula, numa ação que, para variar, tem um caminhão de convicções e nem um dedal de provas.

Fernando Brito, Tijolaço
Publicidade