PSB optou pela neutralidade

Publicidade
Em nota distribuída no início da madrugada, a executiva estadual alega que as candidaturas do prefeito Clécio (Rede) e de Gilvam Borges (PMDB) “são apoiadas pelos partidos que estiveram na linha de frente da aprovação em primeiro turno da PEC 241, conhecida como a PEC da Morte”.
Por esse e outros motivos a Comissão Executiva Estadual do PSB-AP deliberou, por unanimidade ontem à noite, “declarar neutralidade política no segundo turno das eleições municipais e liberar a sua militância e seus simpatizantes para votarem conforme suas consciências.”

Na disputa pela Prefeitura de Macapá, o PSB foi o penúltimo colocado no primeiro turno, com 7.922 votos (3,71%), perdendo inclusive para o PSTU (5,27%) e ficando à frente apenas do PT (1,02%).

PT: Nem um nem outro

Fona na disputa pela prefeitura de Macapá, com apenas 1,02% dos votos, o PT decidiu pela neutralidade neste segundo turno, ou seja, não apoia nem Clécio (Rede) nem Gilvam (PMDB).

Em nota distribuída hoje à tarde, o PT diz que após análise e discussão interna, firmou posição que “nenhum dos dois projetos políticos que estão no segundo turno, são de nossas afinidades e/ou representam nossas posições”. Justifica que a Rede está aliada ao PSDB e DEM “que perseguem e declaram guerra de morte ao PT” e que o PMDB foi o mentor do golpe que tirou Dilma da presidência da República.

A candidata do PT à prefeitura de Macapá, ex-governadora Dora Nascimento, teve apenas 2.174 votos (1,02%) perdendo inclusive para o PSTU e PSB. Sua votação foi inferior ao número de votos de vereadores eleitos.

Alcinéa Cavalcante

Publicidade