Tags

Pessoas não terão mais carros em 2025

Publicidade
No futuro próximo, pessoas não comprarão mais carros. Elas utilizarão veículos autônomos de empresas de transporte urbano privado que operam via aplicativo, como o Uber. Quem diz isso é um dos fundadores e atual CEO da rival Lyft, John Zimmer. Para o executivo, dentro de cinco anos as empresas do ramo já terão uma frota de carros que dirigem sozinhos. E dentro de 10 anos, com a comodidade do serviço, as pessoas pagarão uma assinatura e deixarão de comprar carros particulares como os atuais, de dirigir.
Este é o carro autônomo desenvolvido pelo Google, com previsão de chegar às ruas até 2020 Getty Images
Este é o carro autônomo desenvolvido pelo Google, com previsão de chegar às ruas até 2020. Foto: Getty Images
Em entrevista à revista Time, Zimmer afirmou que, até 2021, Lyft, Uber e demais concorrentes (como o Cabify) já terão a maioria das corridas feitas com carros autônomos. Segundo o executivo, o banco de dados gerado pelos serviços permitirá prever as principais rotas e pontos de embarque e desembarque dos passageiros. Dessa forma, será possível desenvolver uma rede virtual dentro dos grandes centros, onde os carros estarão conectados e programados para percorrer determinados trajetos, tornando a operação mais confiável.

— Já há corridas hoje feitas com carros autônomos em certas vias e em situações em que há boas condições meteorológicas. Acreditamos que estes carros integrarão uma rede, e nós adotaremos a tecnologia de forma a cobrir mais e mais viagens. Só nos Estados Unidos, as pessoas gastam entre dois e três trilhoes em carros particulares, mas o utilizam em 4% do tempo. Isso não faz sentido algum.

Zimmer também falou sobre a transformação das metrópoles. Enquanto o modelo atual de vida é centralizado no automóvel, uma rede de aluguel de carros autônomos permitirá o redesenho das cidades e um melhor aproveitamento dos espaços públicos. Dessa forma, com o avanço das frotas, o executivo acredita que as empresas passarão a cobrar assinaturas, como ocorre com Netflix e Spotify, o que tende a enfraquecer a ideia de ter um carro, que tem custo anual salgado — hoje em torno de R$ 30 mil (US$ 9 mil) nos EUA.

— Temos uma oportunidade tecnológica para rever tudo isso.

R7
Publicidade

Related Posts
Disqus Comments