PC faz maior incineração de drogas do MA

Publicidade
Mais de duas toneladas de drogas foram incineradas pela Polícia Civil, montante avaliado em R$ 6 milhões. A maconha lidera o ranking com 538% de aumento nas apreensões somando 1,8 toneladas; seguida pelo crack com aumento de 221% pela apreensão de 280 kg. Segue na lista a cocaína pasta base com 12,3 kg fora do mercado; e as demais drogas – ecstasy, o ‘loló’ e outros com 4,2 kg apreendidos. O volume é resultado das apreensões realizadas pela Superintendência Estadual de Combate ao Narcotráfico (Senarc), órgão criado em setembro do ano passado com estrutura moderna, dotado de equipamentos e efetivo com qualificação específica para o combate a este crime.

Esta foi a maior incineração de entorpecentes realizada pela Polícia Civil, destaca o superintendente da Senarc, delegado Carlos Alessandro Rodrigues. “Temos conseguido grandes apreensões gerando prejuízo aos traficantes e prendido os distribuidores, evitando que as bases do tráfico sejam abastecidas. Isso mostra o resultado positivo do planejamento feito para impedir este crime”, destacou Carlos Alessandro. A última incineração ocorreu em janeiro deste ano, quando foram destruídos 770 kg de drogas.

Para se ter um comparativo do aumento considerado das apreensões, em todo o ano de 2014 foi apreendido apenas 104 kg de drogas; até setembro de 2015 somaram 644 kg; e de setembro de 2015, quando foi criada a Senarc, até a primeira semana deste mês, foram aproximadamente três toneladas tiradas de circulação. Outro resultado do trabalho profissionalizado da Senarc é o aumento também nas apreensões de armas, em 60%; e na prisão de suspeitos, em 34%. Somaram 55 armas tiradas do crime, 264 pessoas detidas por tráfico e cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão, a partir da criação do órgão. Antes da criação do Senarc essa soma é bem menor: foram apenas 22 armas apreendidas e 174 suspeitos de tráfico presos.

A criação do canal de denúncias via whatsapp potencializou os resultados das ações do órgão e é considerada uma das ferramentas mais importantes na contenção do tráfico de drogas. Funcionando no número (98) 9.9163-4899, o novo meio funciona todos os dias, 24 horas e permite à população denunciar de forma anônima. “Este é um canal que está em pleno funcionamento e que ultrapassou nossas expectativas. Esperamos que a comunidade continue colaborando, pois essa participação é muito importante para nosso êxito”, concluiu o delegado Carlos Alessandro.

O superintendente da Senarc atribui os resultados positivos ao investimento realizado pela atual gestão no setor com o aumento de efetivo, resultante do planejamento estratégico com o mapeamento das rotas de tráfico, principalmente no interior do Estado, onde já ocorreram as maiores apreensões de entorpecentes. O órgão foi todo reestruturado se transformando em uma Superintendência que agregou mais condições de trabalho e melhores ferramentas para combater este crime. “A resposta é esse grande volume de drogas retiradas do mercado criminoso e a sociedade cada vez mais livre do vício e dos crimes que têm origem no tráfico”, enfatiza o superintendente da Senarc.

O superintendente informa, ainda, que a Senarc no próximo mês vai implantar o ‘sessão cinofilia’, que consiste na utilização de cães farejadores para a localização de drogas e armas em locais de difícil percepção humana. E ainda este semestre será executado o projeto educativo tendo como público alvo alunos da rede pública do ensino fundamental, inicialmente, com objetivo de orientar sobre os riscos dos entorpecentes.

Agência de Notícias Maranhão
Publicidade

Publicidade